Campanha de recomposição salarial

BSB Capital04/05/2022 às 17:12, Atualizado em 05/05/2022 às 15:43

Com salários congelados há sete anos, professores intensificam pressão contra o GDF

Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press

Sinpro-DF

A Campanha salarial do Sindicato dos Professores (Sinpro-DF) está a toda. A categoria, cujos salários estão congelados há sete anos, denuncia a desvalorização da educação, resultado das políticas neoliberais implementadas pelo Governo do Distrito Federal. As reivindicações da categoria podem ser vistas na TV aberta, com um vídeo pelo link – clique aqui.

Na peça produzida pelo Sinpro-DF, o sindicato se dirige à população para dizer que a última assembleia geral manifestou a insatisfação de professores (as) e orientadores (as) educacionais, especialmente em relação aos sete anos de salários congelados.

Em frente à sede do GDF o Sinpro estendeu, desde terça-feira (3 de maio) uma faixa que ocupa a maior parte do centro da Praça do Buriti com a chamada “Sete anos de salário congelado. Professor desvalorizado, educação prejudicada. Recomposição salarial já”.

As ações do Sinpro-DF deixam evidente a insatisfação de professores (as) e orientadores (as) educacionais do magistério público frente à desvalorização da categoria e da educação, impostas pelo GDF.

Além de sete anos de salários congelados, as condições de trabalho nas salas de aula são degradantes: turmas superlotadas (com até 45 alunos); educação inclusiva apoiada apenas por “Educadores Sociais Voluntários”, sem vínculos (empregatício ou comunitário) com as comunidades escolares, que recebem uma gratificação simbólica pelo trabalho, enquanto 14 mil monitores concursados aguardam ser convocados; e demanda por pelo menos 5 mil novos profissionais do magistério.

O Sinpro realizou assembleias com a categoria nos dias 22 de fevereiro, 24 de março e 27 de abril. A próxima está marcada para o dia 12 de maio, para discutir os rumos da luta. O encontro poderá ser antecipado, a depender das negociações com o GDF.

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima