Curso gratuito de robótica em 12 regiões do DF

BSB Capital 11/07/2022 às 11:20, Atualizado em 12/07/2022 às 9:44

Inciativa do projeto Include é transformar a vida dos jovens em situação de vulnerabilidade social por meio da tecnologia. São quase 1.100 vagas ofertadas. O curso é gratuito e o candidato deve ter entre 12 e 20 anos e ser estudante de escola pública ou bolsista de escola privada

Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Da Redação

Estão abertas novas vagas para o curso de robótica do projeto Include, idealizado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SCTI) em parceria com o Instituto Campos Party. Os encontros são gratuitos.

As vagas estão abertas para o mês de agosto e as inscrições podem ser feitas pela internet até o dia 31 de julho. O curso tem duração de cinco meses e o candidato deve ter entre 12 e 20 anos e ser estudante de escola pública ou bolsista de escola privada.

o Include já capacitou mais de 2 mil jovens nos 12 espaços – Plano Piloto, Sol Nascente, Ceilândia, Samambaia, Gama, Estrutural, Café sem Troco, Santa Maria, Recanto das Emas, Parque Tecnológico de Brasília (Biotic), Paranoá e Itapoã.

No Itapoã, as aulas acontecem todas as segundas, pela manhã, e quintas-feiras, à tarde, na Praça dos Direitos. Estudam na cidade, em cada turma, em média 13 alunos. A ideia é aumentar o número de vagas a partir de agosto, com quase 1.100 vagas ofertadas para todos os 12 espaços. Haverá 90 novas oportunidades presenciais para cada laboratório e 30 vagas para participação online.

Para quem é menor de 18 anos, a mãe, o pai ou responsável vai receber um e-mail com os termos para aceite. Sem o retorno do responsável, por e-mail, a matrícula não será concluída.

Nas aulas, se aprende a desenvolver placas fotovoltaicas, trabalhar na automação de casas, construir robôs em impressoras 3D, pilotar drones, além de técnicas para se tornarem web designers.

Elísio Luz, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do DF, destaca que “o Include é um programa que visa promover inclusão social, digital e econômica para crianças e adolescentes de comunidades carentes, que não têm acesso à tecnologia e educação”.

No início da pandemia, o projeto funcionou de forma remota. Os alunos recebiam conteúdo online, e também materiais gráficos, desenvolvidos pelo programa para aqueles que não tinham acesso a computador e internet. A proposta da iniciativa é o de transformar a vida de jovens em situação de vulnerabilidade social por meio da tecnologia.

As inscrições podem ser feitas no site do Instituto Campos Party.

Com informações da Agência Brasília.

Deixe um comentário

Rolar para cima