Terrorista não comprou tudo o que queria para fazer massacre

BSB Capital13/06/2016 às 20:14, Atualizado em 09/07/2016 às 3:49

O fuzil e a pistola usados pelo terrorista Omar Mateen, de 29 anos, acusado de ter cometido o atentado que deixou 50 mortos e 53 feridos na boate gay Pulse, de Orlando, nos Estados Unidos, foram comprados há cerca de uma semana, em Port St. Lucie, na Flórida. As informações são do jornal The New …

Terrorista não comprou tudo o que queria para fazer massacre Leia mais »

terrorista  Omar Mateen
Omar Mateen, morto pela polícia americana, era homofóbico e tinha antecedentes de violência. Foto: Reprodução

O fuzil e a pistola usados pelo terrorista Omar Mateen, de 29 anos, acusado de ter cometido o atentado que deixou 50 mortos e 53 feridos na boate gay Pulse, de Orlando, nos Estados Unidos, foram comprados há cerca de uma semana, em Port St. Lucie, na Flórida. As informações são do jornal The New York Daily News.

Segundo a publicação americana, Mateen não teria conseguido comprar tudo o que queria para realizar o massacre na madrugada de domingo, como um colete à prova de balas militar, que teve a venda recusada pela loja.

Ed Henson, dono do estabelecimento, se recusou a falar sobre Mateen. “Sem comentários. Mas minhas orações e pensamentos estão com as famílias e as vítimas. Foi um ato terrível”, disse. Nesta segunda-feira (13), a loja estava fechada.

Também nesta segunda-feira, o chefe de polícia de Orlando, John Mina, disse, em coletiva de imprensa, que depois da operação de resgate, houve nova troca de tiros, na qual o atirador foi morto. Ele diz ter a convicção de que a ação policial “salvou dezenas de vidas”.

As autoridades já identificaram 48 vítimas. Os nomes só estão sendo divulgados após as famílias serem avisadas. A rádio oficial do grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou a matança.

Deixe um comentário

Rolar para cima