Justiça anula determinação que proíbe mulheres de pregar em igreja no Lago Sul

bsbcapitalPor , José Silva Jr.24/11/2021 às 11:01, Atualizado em 26/11/2021 às 9:08

Juíza Thaíssa de Moura Guimarães anula atas de reuniões da Igreja Presbiteriana do Lago Sul de Brasília que proíbem mulheres de pregar no púlpito

Uma decisão da juíza Thaíssa de Moura Guimarães, da 20ª Vara Cível de Brasília, pode pôr um fim ao tratamento desigual e misógino que as mulheres frequentadoras de uma igreja no Lago Sul vêm sofrendo desde a edição de uma resolução, em 2018, que as proíbe terminantemente de abrirem a boca para pregar ou falar no púlpito, direito que, a partir do documento, ficou restrito aos homens.

Relembre o caso

Na segunda-feira (22), a juíza tornou sem efeito as atas das reuniões que afastaram todo o Conselho da Igreja Presbiteriana do Lago Sul, juntamente com o pastor Marcelo de Oliveira Morais, por descumprirem a resolução que bania a mulher membro daquela denominação religiosa de subir ao púlpito e de pregar para os irmãos. O caso foi mostrado, com exclusividade, pelo Brasília Capital

Pastor Marcelo de Oliveira Morais foi punido por promover atividades de inserção de mulheres no comando da congregação. Foto: Antônio Sabino/Brasília Capital

Reunião forjada

Para embasar sua decisão, a magistrada acatou os argumentos dos membros do Conselho afastados. Segundo eles, os líderes de uma outra corrente dentro da igreja forjaram uma reunião que teria decidido o destino deles na entidade. Ou seja, foram substituídos por um novo grupo. 

Mas a reunião, segundo os autores da ação, nunca aconteceu. “Para ‘oficializar’ ou ‘legalizar a decisão’, o Presbítero Valcides José Rodrigues de Souza e a Comissão Executiva do PRBS fizeram uma ata, de número 410, como se fossem o Conselho da Igreja Presbiteriana do Lago Sul, e tentaram levar a ata para registro em cartório.

Cartório recusa ata

O cartório, porém, se recusou a lavrar a ata, argumentando que não havia previsão estatutária no sentido de que o Presbitério Brasília Sul poderia eleger ou destituir os membros administrativos da IPLS. Diante da negativa cartorial, uma nova ata, com a mesma numeração, foi literalmente fabricada para ser aceita no cartório. 

“O novo documento fazia menção a uma reunião que nunca aconteceu, pois o reverendo Rudival Alexandre Souza não poderia presidir a reunião do Conselho, porque era o secretário-executivo do Presbitério Brasília Sul – PRBS na mesma data e horário. Some-se a isso o fato de o diácono Carlos Henrique Queiroga Amaral, que consta como presente na reunião, ter declarado nunca ter estado lá”, disse a defesa dos membros afastados. 

Depois de aceita, a ata ganhou um novo número: 420. O registro ocorreu em 7 de janeiro deste ano e foi assinado pelos seguintes membros: vice-Presidente Rev. Weber Sérgio Costa da Silva; secretário-executivo, reverendo Rudival Alexandre Souza; primeiro-secretário, reverendo Antônio Marcos Medeiros Lima; segundo secretário, reverendo Rêiner Veloso de Godoy; e o tesoureiro Osvaldo Cipriano da Silva.

Antônio Carlos: “Alberto borrifou inseticida e uma das vítimas é asmática”. Foto: Antônio Sabino/Brasília Capital

Fruto de fraude

Na decisão, a magistrada Thaíssa Guimarães ressaltou, ainda, que é incontroverso o fato de que foram lavradas duas atas de número 410. “Os autores pleiteiam a nulidade da ata de número 410, que nomeia novos membros para o Conselho da IPLS, ao argumento de que é fruto de fraude. Ante o exposto, concedo o pedido de tutela de urgência para suspender a eficácia das atas número 410 e 420 da IPLS”, decidiu Thaissa. 

O advogado de defesa dos membros afastados, Ivan Leão, irá pedir o retorno dos seus clientes ao Conselho da IPLS e do pastor Marcelo de Oliveira Morais. “O próximo passo agora é restituir os presbíteros à condição de Conselho e o retorno do pastor Marcelo”, disse ele ao Brasília Capital

Em junho, o jornal noticiou com exclusividade o caso do afastamento do pastor pela resolução que praticamente bane a mulher membro da igreja de ter voz ativa. Uma das reportagens mostrou que desde 2018, quando a igreja editou a resolução, a mulher membro daquela denominação religiosa está banida dos púlpitos e não pode pregar ou dirigir a Palavra em qualquer dependência dos domínios da IPLS. 

juiza thaissa guimaraes
Juíza Thaíssa Guimarães, do TJDFT. Foto: Reprodução

Jezabel

Mas, desde que assumiu o controle da igreja, o pastor Marcelo de Oliveira Morais resolveu descumprir esse ato de misoginia e promover uma série de atividades de inserção delas no comando da congregação. Mas acabou punido com a destituição do cargo. 

Para justificar seu afastamento no Tribunal Eclesiástico, o acusador Alberto Jaegher de Carvalho, que é diácono na igreja, citou a história bíblica de Jezabel, “dizendo que esta pessoa estava ensinando os homens daquela igreja a prestarem esse culto sexual a outros deuses”, narrou Marcelo, que é marido de uma irmã de IPLS. 

A mulher do pastor, segundo ele, foi o alvo da comparação com a personagem bíblica do Antigo Testamento. Isso porque ela era bastante atuante, chegando a pregar passagens da Sagrada Escritura para alguns irmãos e discursar em reuniões da comunidade evangélica, o que é terminantemente proibido pela IPLS. 

“Ela não estava atuando em nada na igreja. Ela prega ministério das mulheres. Agora, estou impedido de exercer meu ministério, recebendo um quarto do que eu recebia antes. Afetaram meu orçamento familiar”, reclama o religioso.

Agora é esperar o próximo capítulo. Quem sabe, com um final feliz para as mulheres.

Leia mais no Brasília Capital

19 comentários em “Justiça anula determinação que proíbe mulheres de pregar em igreja no Lago Sul”

  1. Que cara nojento e baixo… Não há misoginia há IPB, há falta de caráter no autor da ação! E nos autores da matéria pq a juíza não anulou determinação alguma, anulou as atas! Nós mulheres da IPB não precisamos de um final feliz na IPLS, precisamos de pastores decentes que se importem verdadeiramente com as mulheres e não consigo mesmo e seus orçamentos! Se quer enriquecer vire empresário ficar fazendo palco dentro de igreja pra ter mais honorário, que vergonha!

  2. A sentença da Magistrada me parece estar com erro devido à indução da fonte acusatória. É só examinar os Livros de Ordem da IPB que facilmente constata-se. Histórica e teológicamente não existe ministração feminina na Igreja.
    Lado outro, o artigo está induzindo, na sua forma redatória, ao conflito de “gênero”.
    Não apoio o artigo, não apoio a declarada sentença, não apoio a ministração feminina e, os signatários do libélulo devem responder pelo que fizeram. Se houve farça, que os tribunais eclesiásticos da IPB sejam esgotados, antes de se buscar tribunais não eclesiástico.
    Rev. Samuel de Barros

  3. Este titulo nao condiz com a materia. O q foi suspenso foi a determinacao de mudanca do conselho e pastor da igreja, pois foi embasada em ata fraudulenta. Os conselheiros afastados devem ser reconduzidos aos cargos.

  4. Jadson Oliveira da Silva

    Falta do que fazer ao jurídico brasiliense. Lamento ao jornal por noticiar questões de cabedal bíblico e não jornalístico. Misoginia só existe onde Cristo não ê adorado como Senhor e Criador do mundo e dos que nele habitam.

  5. Fiquei muito triste em ler essa notícia. Tudo é muito estranho. não se recorreu primeiro as instâncias internas. Há muita contradição e lamentavelmente falta de amor, de humildade, de verdade e de obediência a Biblia e CI/IPB. Deus tenha misericórdia de todos e que haja verdadeiro arrependimento e transformação de caráter e de atitudes.

  6. O Estado interferindo em decisões que cabem apenas aos tribunais e Concílios da IPB. Está aí um caso claro de rompimento com o princípio da laicidade do Estado. Estamos longe de vivermos em um Estado democrático de direito. E dentro da normalidade democrática. A igreja tem que agir.

  7. Fraudulência, misoginia…. Jesus tá longe disso. Para Jesus não há homem e nem
    Mulher, todos são iguais diante dele. A recomendação de Paulo se fez pertinente em uma sociedade onde a mulher era casada, prostituta ou escrava, foi puramente circunstancial, assim como as orientações para os escravos e seus donos, que hj não fazem o menor sentido. Sei que isso é difícil da igreja admitir, pois, caso contrário, terá que dividir o poder com as mulheres. E isso, como se vê, nao é coisa desejadas entre os “santos”

  8. PAULO HENRIQUE LIMA MOREIRA

    Mais uma notícia da série mulheres conta homens, negros contra brancos, homossexuais conta héteros, direita contra esquerda, filhos contra pais. Estão sempre nos dividindo para nos conquistar.

  9. Uma matéria que está difamando a IPLS. É livre a manifestação de pensamento. Vedado o anonimato. Pois quem propala inverdades, deve responder proporcional ao dano causado. E, você, está comendo uma violação aos direitos constitucionais não só dos membros da IPLS, mas também, dá igreja presbiteriana como um todo. Outra coisa, nós cristãos, temos a bíblia como nossa fonte de fé e de prática, nós cumprimos nosso dever de cidadão, mas também temos direitos! Sou mulher e não me sinto nenhum pouco minimizada em minha igreja por ser mulher! Muito pelo contrário, cada um tem uma função na sociedade. Inverta os papéis, e veja no que vai dar. Por que o médico não virá lixeiro e vice-versa? Você gostaria de chegar em um hospital e dizerem: hoje você vai ser atendida por uma arquiteta, pois cada um pode fazer o que quiser! Ora, você gostaria de ser operada por um arquiteto? Não? Por quê não? Mas isso seria um preconceito! Isso seria uma discriminação com a profissão dos lixeiros ou arquitetos! É exatamente isso! A bíblia fala que o homem é quem tem a autoridade instituída por Deus para dirigir o culto. E não a mulher. Não se trata de diferenciação de gênero! Isso é uma ordem de Deus. Então, porque vocês não entram na igreja católica e dizem: padre agora podem casar! Não, pode porque é uma regra da igreja. Simples assim. Regras foram feitas para serem seguidas. Se não concorda, é só procurar quem concorda contigo e abrir uma outra igreja. Mas não tentem mudar o que defendemos. Por quê, vocês não vão até o traficante e dizem que eles maltratam as mulheres? Sabe por quê vocês não vão? Porque vão para Assembleia de Deus, Sara nossa Terra, tem tantas igrejas que permitem mulheres pregar! Não tentem modificar o que acreditamos! Aqui somos livres.

  10. Nota de Esclarecimento
    Direito de resposta ao Site BsbCapital

    Quanto à matéria veiculada e disponível no site com endereço:

    Eu, Marcelo de Oliveira Morais, esclareço os seguintes fatos:

    Não fui procurado para essa matéria específica e não concedi entrevista, de maneira que fotos e quaisquer outras referências a minha pessoa, fala ou imagem estão relacionadas a evento passado e diverso, já superado, sem contexto com a atual situação em que me encontro;

    Minha situação junto à IPB está regularizada pela apreciação dos documentos de acusação que foram arquivados inocentando-me das acusações;

    Atualmente como ministro presbiteriano estou sob jurisdição de outro Presbitério, o qual me acolheu respeitosamente e entendeu que a Comissão Executiva do Supremo Concílio da IPB versou sobre a matéria dos documentos de modo a sustentar sua decisão pelo arquivamento dos documentos de acusação;

    Lamento as intempestivas opiniões de pessoas, não atualizadas sobre o processo, que insistem em difamar a mim e demais envolvidos em episódios que devem ser superados pelo bem da igreja, da Glória de Cristo e das pessoas as quais o Senhor Jesus salvou;

    Esclareço que não tem existe ação judiciária de minha lavra contra a igreja e nunca houve;

    Estranho àqueles que têm acesso à minha pessoa e não me procuraram, pois sempre estou à disposição para quaisquer esclarecimentos, inclusive deixo meu contato abaixo para quem quiser;

    No mais, expresso desejo que, em ocorrências assim envolvendo as personagens, a verdade e justiça sejam aliadas com a graça e amor, atributos divinos não excludentes e harmônicos entre si.

    Finalmente, “tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento. 9 O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco.” (Paulo aos Filipenses, cap. 4, versículos 8 e 9).

    Fraternalmente,
    Solus Christus,

    Rev. Marcelo de Oliveira Morais.

    pr.marcelomorais@gmail.com

  11. Como as igrejas são atrasadas no Brasil, na Europa por exemplo é permitido mulheres pregar em todas elas, inclusive eles abrem espaços para ateus e pessoas de outras religiões fazerem palestras em seus templos, também é permitido pregadores homossexuais, trans, etc…, aqui no Brasil ainda vivem na idade da pedra. É a lógica da colonização que ainda predomina por essas bandas..

Deixe um comentário

Rolar para cima