Izalci vê interesse de Ibaneis em acusação de Ciro Nogueira

BSB Capital 26/05/2022 às 14:53, Atualizado em 27/05/2022 às 10:51

Senador cobra aprofundamento nas investigações da Operação Falso Negativo

Foto: Divulgação

Orlando Pontes    

Acusado, na quarta-feira (25), pelo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), de crimes de abuso de autoridade e denunciação caluniosa, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) reagiu nesta quinta (26). O parlamentar afirma que a motivação do assessor do presidente Jair Bolsonaro (PL) é “um esquema político montado para manter no cargo o atual governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

Pré-candidato ao Palácio do Buriti, o tucano participou da CPI da Pandemia no Senado, onde defendia o aprofundamento das investigações da Operação Falso Negativo, realizada pela Polícia Federal, Polícia Civil do DF e pelo Ministério Público Federal, que levou à prisão do então secretário de Saúde, Francisco Araújo Filho, e de outros integrantes do governo Ibaneis.

As investigações revelaram que o GDF comprou testes anti-covid com preços superfaturados e de eficácia condenada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).  “A representação do ministro Ciro Nogueira no STF contra o meu trabalho na CPI da Covid-19 é uma retaliação política ao trabalho de fiscalizar a aplicação do dinheiro público na pandemia. É também um sinal de que as investigações precisam ser aprofundadas, conforme sugeri”, reagiu Izalci.

Para o senador, o objetivo da ação de Ciro Nogueira é “meramente político”, pelo fato de, em suas propostas à CPI, não ter sido sugerido o indiciamento do ministro. “No conjunto de minhas propostas, apenas solicitei o aprofundamento da investigação”. A direção nacional do PSDB ironizou a iniciativa do ministro de Bolsonaro, lembrando que ele é presidente do PP, partido aliado de Ibaneis.

Até a publicação desta matéria, o Brasília Capital não havia recebido resposta do GDF sobre as acusações do senador tucano.

NOTA

Leia a íntegra da Nota à Imprensa publicada por Izalci:

“A representação do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, perante o Supremo Tribunal Federal contra o meu trabalho na CPI da Covid-19 é uma retaliação política ao trabalho de fiscalizar a aplicação do dinheiro público na pandemia e uma tentativa de desestabilizar a minha candidatura ao Governo do Distrito Federal. É também um sinal de que as investigações precisam ser aprofundadas, conforme sugeri.

Extemporânea, a representação objetiva refutar os fatos apresentados por mim na Comissão Parlamentar de Inquérito sobre o envolvimento de lideranças políticas nos desvios de recursos durante a pandemia na Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

As investigações conduzidas pela Polícia Federal, Polícia Civil do Distrito Federal e pelo Ministério Público Federal levaram à prisão do Secretário de Saúde e de outros agentes públicos locais e reafirmam a gravidade dos fatos relatados no voto apresentado à CPI da Covid.

Jamais renunciarei às prerrogativas constitucionais outorgadas pelo voto do povo do Distrito Federal que me obrigam a ter uma atuação parlamentar altiva, independente e fiscalizadora, mesmo sofrendo ameaças e ataques como esse orquestrado pelo Ministro da Casa Civil.

Confio na Justiça do Brasil e tenho a convicção de que o STF analisará a representação com o rigor e a isenção que o caracterizam, determinado o seu arquivamento.

Brasília, 26 de maio de 2022

Senador Izalci Lucas

Líder do PSDB no Senado”

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima