Izalci promete acabar com o Iges-DF

BSB Capital 23/03/2022 às 14:26, Atualizado em 27/03/2022 às 16:43

Senador diz que Ibaneis “caiu de paraquedas no Buriti e é despreparado para governar o DF”

Izalci afirma que GDF não tem uma política pública de saúde Foto: William Sant’Ana

José Silva Jr

Pré-candidato pela Federação PSDB/Cidadania ao Governo do Distrito Federal, o senador Izalci Lucas (PSDB) garante que, se for eleito em outubro, extinguirá “imediatamente” o Iges e “criaria uma fundação pública nos moldes da extinta Fundação Hospitalar do Distrito Federal”.

O parlamentar justificou a pretensão devido às denúncias envolvendo agentes públicos ligados ao Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF) e às seguidas trocas de secretário de Saúde:

“São sete secretários em três anos. Isto mostra a total falta de uma política de saúde pública do GDF”. Sobre Educação, diz que hoje “nem chega perto” da oferecida em sua época. “Resgatar a qualidade das escolas dos anos 1980 é o meu desafio”, disse.

Izalci foi o entrevistado, segunda-feira (21), do programa Brasília Capital Notícias – Eleições 2022, parceria do jornal Brasília Capital com a TV Comunitária (canal 12 da Net) e o blog do Chico Sant’Anna. O programa é conduzido pelos jornalistas Orlando Pontes e Chico Sant’Anna.

“Ibaneis caiu de paraquedas no Buriti”

Durante os 30 minutos da entrevista, o tucano manteve a estratégia de críticas ao atual governador, que, segundo ele, “caiu de paraquedas no Buriti e é despreparado para governar o DF”.

“Qual é o projeto do governador Ibaneis? Essas obras que estão aí em andamento são dos governos Roriz e Arruda. Não dá para uma pessoa cair de paraquedas para governar uma cidade sem conhecer”.

Perguntado sobre seu próprio plano de governo, caso se eleja governador, Izalci falou de grandes temas. Destacou o transporte público, que, segundo ele, carece de projeto de mobilidade urbana, definindo prioridades junto com a população. “No meu governo não será um edital feito pelas empresas. Garanto”.

O tucano disse ser inoportuna a votação da Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos), que está em tramitação final na Câmara Legislativa. “A apreciação do assunto em ano eleitoral é, no mínimo, suspeita. Deveria ser proibido votar a Luos em período eleitoral”, avalia.

Citou, ainda, as 100 mil famílias, aproximadamente, cadastradas para receber cestas básicas do governo. “Leva-se quase um ano para conseguir. É um absurdo”. E falou do êxodo das indústrias do DF para o estado de Goiás.

“Há mais de sete anos, fui autor de uma lei no Congresso Nacional que permite ao DF conceder o mesmo incentivo fiscal do restante das unidades da federação do Centro-Oeste. Mas ninguém fez nada até hoje. E as empresas continuam saindo daqui para outros estados em busca desses incentivos”.

Segundo o senador, “estão acabando com Brasília”. ”Estou há 20 anos na vida pública. Como secretário de Ciência e Tecnologia do governo Arruda, lançamos o Parque Capital Digital. O atual governo passou esse projeto para Terracap, e lá ele emperrou”, exemplifica.

Aliança com Leila e Reguffe

Para a campanha deste ano, Izalci ainda acredita na união dos três senadores do DF contra o governador Ibaneis Rocha (MDB), mesmo com a possibilidade de José Antônio Regufe (União Brasil) e Leila do Vôlei (Cidadania) também saírem candidatos ao Buriti.

“Estamos conversando. Tem grande chance de caminharmos juntos”. E Izalci mantém mistério sobre seu vice. “Virá de um terceiro partido. Estamos conversando com muitos atores. Pode ser uma mulher”, sinaliza.

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima