GDF tira dinheiro da limpeza urbana para fazer propaganda

BSB Capital13/05/2022 às 21:30, Atualizado em 16/05/2022 às 14:56

Anúncio da obra do túnel de Taguatinga na estrada do Paranoá revolta moradores

Foto: Reprodução

José Silva Jr.

O governador Ibaneis Rocha (MDB) está usando a obra viária do túnel de Taguatinga como carro-chefe condutor da propaganda de seu governo, mesmo para a parte da população que não se beneficiará com ela.

O emedebista ziguezagueia de um canto a outro atrás de verba para engordar o orçamento da Secretaria de Comunicação tirando recursos daqui e dali. Ibaneis conseguiu aprovar na Câmara Legislativa mais R$ 85,74 milhões, além dos R$ 73,75 previstos na Lei Orçamentária Anual (LOA).

O valor já era um dos maiores orçamentos para propaganda desde o início do mandato dele. Grande parte desse dinheiro é usada com publicidade das obras executadas por sua gestão – uma delas, a passagem subterrânea em frente à Praça do Relógio.

Mas, para conseguir a aprovação, teve de comprovar de onde viria o suporte. A Lei de Responsabilidade Fiscal determina que a abertura de crédito suplementar precisa ser compensada com a redução de outras despesas no mesmo valor aditado.

Assim, os recursos foram viabilizados com o cancelamento de cinco programas do Sistema de Limpeza Urbana, incluindo R$ 30 milhões da manutenção de atividades de limpeza urbana e R$ 30 milhões para manutenção de bens imóveis. Ou seja, descobriu um santo para cobrir outro.

Critérios

Com o novo orçamento, Ibaneis distribuiu anúncios para rádios, TVs, jornais, blogs. Mas nem sempre fica claro quais os critérios técnicos para isso. Não precisava nem ter a ver com a obra. Por exemplo: na estrada para o Paranoá, próximo ao Varjão, foi instalado um imenso outdoor anunciando a obra de Taguatinga.

“De que maneira essa obra vai me beneficiar? Eu não trabalho em Taguatinga e raramente vou lá”, questionou Diogo de Sá Barbosa, 38 anos, mestre de obras e residente no Paranoá. “Pelo menos se fosse pra falar do Trevo de Triagem Norte, que é aqui na Saída Norte”, diz o trabalhador.

Na obra citada por Diogo Sá – iniciada no governo Rollemberg –, foram feitos 23 viadutos, quatro pontes, 28 quilômetros de vias e 14 de ciclovia. O complexo beneficia mais de 100 mil motoristas que trafegam pela Saída Norte diariamente.

Para revoltar ainda mais quem reside naquela região a Leste e Norte do DF, os R$ 85,7 milhões de suplementação de verba de publicidade, cuja grande parte foi usada para divulgar o túnel da discórdia, representa quase 40% do total da verba usada para construir o trevo (R$ 220 milhões).

“Concordo em o governo divulgar seu trabalho, mas neste caso passou o limite do aceitável. Esse dinheiro daria para construir UPAs, hospitais, fazer duplicação de vias, construir escolas. Numa boa, o governador foi injusto”, desabafou Geovana Alves da Silva, 41, pedagoga e moradora do Paranoá.

Transparência

O secretário de Comunicação, Weligton Moraes (foto), não respondeu quanto o GDF investiu na campanha do túnel de Taguatinga. “Toda a despesa de publicidade do GDF está publicada no Portal da Transparência e no Diário Oficial. Diferente da época do governo Arruda, quando não era tornada pública”.

Moraes era o secretário de Comunicação de Arruda e cita uma assessoria de imprensa contratada à época pela Caesb, então comandada pelo atual presidente da Novacap, Fernando Leite, que, segundo ele, “ainda hoje é questionada pelo Tribunal de Contas do DF”. O Brasília Capital não conseguiu contato com Fernando Leite até o fechamento desta matéria.

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima