Em nove momentos, o histórico explosivo de Fabrício no Inter

bsbcapitalPor ,02/04/2015 às 16:26, Atualizado em 02/04/2015 às 16:26

O surto de Fabrício contra o Ypiranga pode ter sido surpreendente, mas não chegou a ser uma novidade. Os casos de descontrole do jogador se acumularam ao longo dos quatro anos no clube. Neste período, foram oito expulsões — que incluíram brigas com colegas, adversários, torcedores e árbitros. Zero Hora relembra momentos em que o …

Em nove momentos, o histórico explosivo de Fabrício no Inter Leia mais »

17318691O surto de Fabrício contra o Ypiranga pode ter sido surpreendente, mas não chegou a ser uma novidade. Os casos de descontrole do jogador se acumularam ao longo dos quatro anos no clube. Neste período, foram oito expulsões — que incluíram brigas com colegas, adversários, torcedores e árbitros. Zero Hora relembra momentos em que o lateral se envolveu em confusões.

 

1. Discussão com Dorival Júnior (26/5/2012)
Fabrício chegou ao Inter em 2011 e foi contratado em definitivo no ano seguinte. Em maio de 2012, teve seu primeiro problema de comportamento com a camisa colorada. Em um empate em 3 a 3 com o Flamengo, pelo Brasileirão, o lateral discutiu com o técnico Dorival Júnior, que havia contestado o seu posicionamento. À época dirigente, Fernandão decidiu não punir o jogador.

2. Irritação ao ser substituído (16/6/2012)
Os problemas com Dorival se repetiram menos de um mês depois. Ao ser substituído quando o Inter perdia por 2 a 1 para o Botafogo para a entrada de Jajá Coelho, o jogador saiu de campo irritado e foi direto para os vestiários.

3. Reclamação até ser expulso (10/9/2013)
Em uma partida contra o Santos, pelo Brasileirão, Fabrício fez uma falta e levou cartão amarelo. Até aí, tudo bem. Mas o lateral se irritou com o árbitro Marcelo de Lima Henrique e acabou expulso — na saída, foi chamado de “burro” pela torcida. Na súmula após o jogo, o árbitro relatou que Fabrício disse as seguintes expressões: “Vai se f…, vai tomar no c…”.

4. Confusão com Rafael Moura em Goiás (17/11/2013)
Uma confusão no vestiário do Inter em uma partida contra o Goiás, no Serra Dourada, começou com um desentendimento entre Fabrício e Rafael Moura. Garrafas foram jogadas, de acordo com relatos de testemunhas da ocasião.

5. Briga com adversário (18/2/2014)
O Inter jogava contra o Juventude quando Fabrício levou uma entrada dura de Diogo. Ele se irritou, foi reclamar com o rival mas levou um tapa na boca.Descontrolado, foi para cima. Ambos foram expulsos. Dias antes, o lateral havia dito que procuraria se controlar para evitar novos casos de explosão temperamental.

6. Discussão com Willians (11/4/2014)
Em abril de 2014, Fabrício e Willians tiveram um forte desentendimento durante um treino e quase chegaram às vias de fato. Eles foram contidos pelos colegas e pela comissão técnica. Na ocasião, entre as duas partidas finais do Gauchão passado, D’Alessandro reclamou dos jornalistas que tiravam fotos do incidente.

fabriciodedodomeiojefersonguarezefp7. Mais xingamentos ao árbitro (12/11/2014)
Outra vez Fabrício se desentendeu com um árbitro. Na partida contra o São Paulo, o jogador foi expulso por Héber Roberto Lopes. O árbitro relatou em súmula que Fabrício fez gestos em protesto à expulsão, chutou a bola em direção à torcida e o chamou de “filho da p…, ladrão, ladrão, ladrão, safado”. Mais uma vez, Fabrício precisou ser contido pelos colegas de time.

8. Tentativa de invasão do vestiário do Palmeiras (29/11/2014)
No Brasileirão do ano passado, o jogador discutiu fortemente com Bruno César, do Palmeiras. Depois do jogo, precisou ser contido pelos companheiros para não invadir o vestiário adversário. O Inter alegou, na ocasião, que Bruno César acertou um soco no lateral, o que desencadeou a sua fúria. O clube chegou a divulgar um vídeo do lance para tentar defender o seu atleta.

9. Surto contra o Ypiranga (1/4/2015)
O caso mais recente — e pode ter sido o último pelo Inter — de descontrole foi o surto contra o Ypiranga, nesta quarta-feira. Depois de ouvir algumas vaias da torcida, Fabrício se livrou da bola, fez gestos obscenos e xingou a torcida. Expulso, o lateral tirou a camisa do Inter e a jogou no chão antes de deixar o campo revoltado e dizendo que não voltaria a atuar pelo clube.

Deixe um comentário

Rolar para cima