Covid-19: Justiça suspende atividades presenciais na CLDF

BSB Capital 04/02/2022 às 10:27, Atualizado em 07/02/2022 às 4:53

Decisão do TJDFT atende pedido do Sindicato dos Servidores, que pediu a suspensão das atividades após um deputado testar positivo para covid-19

covid cldf

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) determinou, nesta quinta-feira (3), a suspensão das atividades presenciais na Câmara Legislativa do DF (CLDF). A decisão é liminar e atende a um pedido do Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo e do Tribunal de Contas do DF (Sindical).

As atividades presenciais na Casa devem permanecer suspensas até decisão final sobre o tema. A medida ocorre após o deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) ser diagnosticado com covid-19. O parlamentar discursou sem máscara no plenário da CLDF, na terça-feira (3).

Testagem

Por conta da situação, a Câmara Legislativa determinou a testagem das pessoas que estavam no local. Em nota, a Casa afirmou que vai obedecer a decisão judicial, mas pretende recorrer. As informações são do g1 DF.

Na determinação, a juíza Maria Silda Nunes de Almeida aponta que o número de casos de Covid-19 “aumentou consideravelmente desde o final do ano passado gerando um colapso da rede pública de saúde, situação que não é diferente no Distrito Federal”.

A magistrada recomenda a adoção do teletrabalho também devido ao crescimento no número de atestados médicos de servidores, estagiários e terceirizados da CLDF.

Covid no plenário

O deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) testou positivo para covid-19. Na terça-feira (1º), o parlamentar deixou o plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), na retomada dos trabalhos legislativos de 2022, alegando que estava sentindo-se “febril”. 

cldf covid
Deputado distrital Jorge Vianna (Podemos). Foto: CLDF

“Não tive contato com ninguém diretamente quando estava sem máscara na Câmara”, declarou Vianna.

“O pessoal da minha equipe sempre usa máscara. Mas quem esteve comigo ontem foi orientado a entrar em contato com o médico para seguir os protocolos”, comentou. Vianna admitiu que ficou sem máscara no púlpito e na baia da Mesa Diretora no plenário. “Os ambientes passam sempre por assepsia depois que cada deputado fala”, pontuou.

Leia mais no Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima