Comunidade Santa Luzia recebe reservatório d’água

BSB Capital 22/07/2022 às 11:00, Atualizado em 25/07/2022 às 13:34

Iniciativa beneficia 17 mil moradores da Estrutural sem acesso a saneamento básico

Foto: Divulgação Sinpro-DF

 Luís Ricardo (*)

Após 26 meses de espera e muita luta, a Comunidade Santa Luzia, na Cidade Estrutural, recebeu um reservatório para a água consumida pela população local. O reservatório beneficiará mais de 17 mil moradores que enfrentam várias dificuldades devido à falta de saneamento básico.

A vitória é fruto do projeto Vida & Água para ARIS/DF, que tem parceria da Universidade de Brasília (UnB), do Sinpro e de um coletivo de movimentos e instituições sociais. Os dois primeiros reservatórios instalados (Santa Luzia e Sol Nascente) foram comprados com o apoio do Sinpro-DF.

Segundo o professor do Departamento de Serviço Social (SER/UnB) e coordenador do projeto, Perci Coelho, existe um chafariz da Caesb em Santa Luzia, mas que não atende os moradores das ruas mais afastadas. “Daí a importância de um reservatório, que é provisório, para mobilizar a comunidade a lutar pela instalação definitiva da rede geral da Caesb no local”.

Perci Coelho lembra que, sendo uma ARIS, a Chácara Santa Luzia também tem direito ao acesso a água encanada da Caesb. Ele informa que até o momento foram inauguradas sete casas: na Estrutural/Santa Luzia (CEF 02); no Porto Rico, em Santa Maria (EC 01; na Dorothy Stang (CEF 04 – Sobradinho); no Vale do Amanhecer (CED Vale do Amanhecer); na ARISI – Recanto dos Encantados – Sobradinho (Povo Indígena – Xukuru);  no Sol Nascente (EC-66); e no Itapoã (CED Zilda Arns).

A Casa Vida & Água é um projeto de interesse comunitário, de caráter associativo, provisório e emergencial até que seja instalada uma sala de situação nos termos do abaixo-assinado protocolado no GDF em 25 de junho de 2020. Essas Casas são constituídas de uma parceria tripartite: Escola/universidade + Trabalhadores (as) da Comunidade Escolar parceira + Comunidade organizada na forma de associações de moradores. O projeto ainda se compromete em favorecer o empoderamento da população mais pobre e vulnerável sem conexão com o sistema da Caesb, sendo, assim, um estímulo à convivência pacífica comunitária popular.

A expectativa é de crescimento para outras localidades das 47 ARIS legalmente constituídas pela Câmara Legislativa na última revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT). Até o momento, a Caesb só autorizou três localidades para serem servidas pelo carro-pipa nos reservatórios articulados pela UnB: Santa Luzia (Estrutural), Fazendinha (Sol Nascente) e quadras 203/204, no Itapoã. Mas o projeto quer apoiar todas as 47 ARIS a terem direito fundamental à água potável e tratada. 

(*) Jornalista do Sinpro-DF

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima