Sobre a polêmica do “detox”

BSB Capital 18/07/2015 às 20:44, Atualizado em 18/07/2015 às 20:44

Sempre que escrevo para os leitores deste Brasília Capital, digo que devemos ter um estilo de vida saudável. E isso implica em hábitos alimentares saudáveis associados à prática regular de exercícios físicos. Hoje, vamos um pouco além, pois um estilo de vida saudável pede uma mente sã, sem maus pensamentos, e um espírito leve. Precisamos, …

Sobre a polêmica do “detox” Leia mais »

Sempre que escrevo para os leitores deste Brasília Capital, digo que devemos ter um estilo de vida saudável. E isso implica em hábitos alimentares saudáveis associados à prática regular de exercícios físicos. Hoje, vamos um pouco além, pois um estilo de vida saudável pede uma mente sã, sem maus pensamentos, e um espírito leve. Precisamos, ainda, praticar ações sustentáveis e ter uma postura ecológica, além de evitar contato com substâncias que nos intoxicam, como cigarros e bebidas alcoólicas.

Muitos colegas se pronunciaram nas redes sociais sobre a matéria exposta no programa do Fantástico no último domingo (12), falando sobre a ineficácia de uma dieta “detox”. Bom, eu acredito que se seguirmos todos os itens que destaquei logo acima estaremos no padrão “detox”. Mas, seguindo a linha que um profissional que admiro muito evidenciou, o importante é não fazer “intox”. Ou seja, não se intoxicar!

Gostaria de esclarecer duas coisas: primeiro, o que significa a palavra dieta. Trata-se de um padrão alimentar. Portanto, todos nós temos uma dieta, seja ela saudável ou não. Infelizmente, houve, com o tempo, um entendimento leigo errôneo sobre o significado dessa palavra, e todos acham que dieta é algo restritivo e engessado. A segunda é que sim, existem evidências científicas (antigas, inclusive, que encontramos até em livros usados na minha graduação, no início deste século) que mostram o papel que alguns nutrientes têm no processo que o fígado faz, naturalmente, de detoxificação. Entendemos esse processo como uma limpeza do organismo. E assim como o fígado, os intestinos e os rins também nos auxiliam a limpar o nosso corpo.

Para fechar, quero compartilhar o que penso sobre a matéria de domingo. Nem vilão, nem salvação! Suco verde pode apenas fazer parte de um contexto de alimentação saudável, ou melhor, de um estilo de vida saudável. Quando o “mundo” vai entender que, neste campo, não existe milagre?

 


Leia Mais


Nutrição e cirurgia plástica


Por que mudar hábitos alimentares?


As perdições das festas juninas


 

Deixe um comentário

Rolar para cima