Sindicato cobra fim do horário estendido no Santander

diva.araujoPor ,10/04/2022 às 11:08, Atualizado em 12/04/2022 às 16:34

Banco é o único a manter atendimento das 9h às 10h para idosos e grupos de risco para a covid-19

Foto: Divulgação

Sindicato dos Bancários

O movimento sindical cobrou à direção do Santander a volta do horário de atendimento das agências à regularidade das 10h às 16h, ou das 10h às 15h nos municípios que assim determinaram, conforme legislação local. A direção do Santander respondeu que o tema está em discussão internamente e se comprometeu a dar retorno ao movimento sindical esta semana.

“O Santander, mais uma vez, deixa claro que não se importa com a saúde dos seus funcionários, fazendo com que trabalhem mais para apenas obtenção de seu lucro. Santander, respeite o Brasil e os brasileiros”, critica o diretor da Federação Centro Norte (Fetec-CUT/CN), José Anilton, que é funcionário do Santander.

A direção do banco convocou para o trabalho presencial, a partir de segunda-feira (4), os funcionários do grupo de risco para a covid-19. Durante a pandemia, o Santander e os demais bancos implementaram horário de atendimento preferencial para idosos e pessoas dos grupos de risco para o coronavírus das 9h às 10h nas agências.

Atualmente, os bancos não procedem mais dessa forma. O atendimento nas agências voltou para o horário normal das 10h às 16h ou das 10h às 15h. O Santander, contudo, é o único banco que permanece com horário preferencial das 9h às 10h, e estende o tempo de atendimento até as 16h, inclusive nos municípios onde o horário se encerra às 15h.

O movimento sindical questionou a direção do banco na segunda-feira (4) e cobrou que a medida seja revista por meio da regularização do horário de atendimento das 10h às 16h, e até as 15h nos municípios que assim o praticavam.

(*) Da Redação com Seeb São Paulo

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima