Novo herói do Brasil é um juiz nerd que é duro com a corrupção.

AdminPor ,29/01/2016 às 19:04, Atualizado em 09/07/2016 às 3:53

Matéria publicada em dezembro passado no The Washington Post  descreve Moro como um herói para os brasileiros. O jornalista Dom Phillips do The Washington Post  fez uma interessante matéria sobre o juiz brasileiro Sergio Moro.  “Novo herói do Brasil é um juiz nerd que é duro com a corrupção. O Juiz Federal Sergio Moro, preside casos …

Novo herói do Brasil é um juiz nerd que é duro com a corrupção. Leia mais »

Matéria publicada em dezembro passado no The Washington Post  descreve Moro como um herói para os brasileiros.

FRP_Juiz-Sergio-Moro-anuncia-medidas-contra-impunidade_0307042015-850x565
Juiz Federal Sergio Moro. Foto: FabioRodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O jornalista Dom Phillips do The Washington Post  fez uma interessante matéria sobre o juiz brasileiro Sergio Moro. 

Novo herói do Brasil é um juiz nerd que é duro com a corrupção.

O Juiz Federal Sergio Moro, preside casos em um escândalo de corrupção enorme no Brasil, conhecido como “Lava Jato”

As figuras mais admiradas no Brasil geralmente são coloridos ou glamourosos — pessoas como a estrela do futebol Neymar Júnior ou a supermodelo brasileira Gisele Bundchen. Mas o herói este ano é um juiz federal de terno escuro, fala mansa, que é, de acordo com um dos seus amigos mais próximos, “nerd”.

Sergio Moro se tornou um nome familiar por seu trabalho presidindo uma série de inquéritos em um escândalo de corrupção enorme. Apelidado de “Lava jato”, o escândalo abalou algumas das mais importantes instituições do Brasil, incluindo a estatal petrolífera Petrobras e partido dos trabalhadores que tem governado o país por 12 anos.

Moro tem presos executivos de algumas das maiores empresas do Brasil e políticos num escândalo que ameaça o governo profundamente impopular da presidente Dilma Rousseff.

Quando os brasileiros inundaram as ruas para protestar contra a corrupção e a chamada para impeachment de Dilma em quatro ocasiões este ano, muitos usavam máscaras de Moro, acenando banners com seu nome ou carregando bonecos infláveis de Moro.

A investigação denominada Lava Jato, que começou em março de 2014 e é executada por uma força-tarefa do Ministério público em Curitiba, encontrou que empreiteiros pagaram propinas aos intermediários e políticos em troca de contratos na Petrobras.

 Como resultado as revelações, a empresa teve que amortizar US $ 2 bilhões em custos relacionados com suborno e barrar investimentos. O impacto do escândalo na empresa de petróleo gigante do Brasil e seus fornecedores é tão grande que ajudou a mergulhar o país na recessão Na capital, Brasília, outra equipe de promotores de Justiça está investigando dezenas de legisladores no âmbito do Congresso, incluindo Eduardo Cunha, Presidente da Câmara dos Deputados. Os promotores disseram que ele e sua família tinham milhões de dólares em contas bancárias suíças.

Moro mudou a forma como casos de corrupção foram julgados, acelerando os processos e fazendo uso liberal de detenções preventivamente para manter os réus suando na cadeia em vez de sair sob fiança. Como resultado, muitos deles optaram por apresentar provas, um procedimento até então incomum no Brasil. A escala da corrupção só se tornou clara para as autoridades depois que o executivo Paulo Costa do alto escalão da Petrobras e o doleiro Alberto Youssef fizeram a delação premiada. A investigação da Lava Jato teve como resultado a prisão de mais de 100 pessoas, e até novembro os promotores tinham recuperado mais de US $ 3 bilhões em subornos.

Moro aprendeu com as investigações de corrupção estrangeira, como o caso de “Mãos limpas” na Itália da década de 1990. Sua abordagem também pode ter sofrido influência do processo legal dos Estados Unidos, dizem os amigos. Em 1998, Moro e Gisele Lemke, uma colega juiza federal, passaram um mês em um programa especial na faculdade de direito de Harvard. Em 2007, Moro participou de um curso de três semanas para potenciais líderes, patrocinado pelo departamento de estado dos EUA. Moro admira o rigor e a eficiência do sistema de Justiça dos EUA. “Ele está passando por uma experiência da cultura americana, como advogados se comportam lá em processos como este,” disse o amigo Zuculotto.”

Deixe um comentário

Rolar para cima