Nação Fla causa rombo de R$ 64 mi no BRB

BSB Capital 08/07/2022 às 18:51, Atualizado em 10/07/2022 às 22:38

Ministério Público de Contas dá 10 dias para o banco esclarecer denúncias de falta de transparência nas operações deficitárias do cartão

Foto: Reprodução

Da Redação

A falta de transparência parece estar disseminada no Governo do Distrito Federal. Quando o assunto é ocultar números que correspondem a vultosas quantias de dinheiro público usadas para pagar interesses privados – conforme o Brasília Capital vem revelando em suas edições – a prática não é exclusividade de uma única Secretaria.

O Banco de Brasília (BRB) também tem feito o dever de casa direitinho, ao não dar transparência às informações de operações dos cartões de crédito concedidos a torcedores do Clube de Regatas Flamengo, do Rio de Janeiro, o Nação BRB Fla. Segundo reportagem do Correio Braziliense de quinta-feira (7), o rombo pode ultrapassar os R$ 64 milhões.

A ocultação desses dados, que são públicos – ou deveriam ser –, entrou no radar do Ministério Público de Contas do Distrito Federal (MPCDF), que é ligado ao Tribunal de Contas do DF. O MP de Contas deu um prazo de dez dias, a contar da quinta-feira (7), para o BRB esclarecer sobre as denúncias de transparência na divulgação das operações deficitárias do cartão de crédito do banco.

Museu do Flamengo

O assunto não se constitui uma novidade. Há mais de um mês, na edição 570, o Brasília Capital divulgou as aberrações contidas nesse contrato entre o banco estatal e o clube carioca. O jornal revelou que o BRB havia feito um aporte de mais R$ 2,5 milhões ao rubro-negro para construir o Museu do Flamengo na capital fluminense.

Na mesma reportagem, o jornal trouxe a informação de que produtores culturais do Distrito Federal estavam indignados com esse contrato milionário entre o banco da capital federal e o time do Rio de Janeiro.

Não é para menos. A instituição pública, que tem como destino fomentar o desenvolvimento do DF, está fazendo mimos ao time de outro estado. E não somente com o time de futebol, que recebe do BRB um aporte fixo de R$ 32 milhões por ano.

Patrocínio aos rivais de Brasília

O basquete rubro-negro, rival dos times da mesma modalidade de Brasília, conta com R$ 2,5 milhões do BRB, sendo que não havia necessidade, uma vez que o clube carioca teve uma receita em 2021 de mais de R$ 1 bilhão.

Tanto dinheiro em via de mão única acendeu o sinal amarelo no MP de Contas. No pedido feito ao banco, o procurador Demóstenes Albuquerque quer informações sobre as atividades do BRB, como os números relacionados à inadimplência de clientes detentores do cartão Nação BRB FLA.

Além disso, o procurador quer o pronunciamento da Controladoria-Geral do DF sobre o assunto. O MP suspeita estar havendo uma manobra para escamotear um mau negócio. Um calote que pode passar de 50%. A cada dois clientes que têm os cartões com as marcas BRB e Flamengo um pode estar inadimplente.

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima