Governo evita reajustes por meta de inflação, diz Mercadante

BSB Capital 14/05/2014 às 9:33, Atualizado em 14/05/2014 às 9:33

Para evitar impactos nos índices de inflação, o governo tem segurado os preços de combustíveis e energia, disse o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. Mercadante afirmou que o governo administra os aumentos de preços em função do interesse estratégico da economia e que os reajustes não …

Governo evita reajustes por meta de inflação, diz Mercadante Leia mais »

Para evitar impactos nos índices de inflação, o governo tem segurado os preços de combustíveis e energia, disse o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. Mercadante afirmou que o governo administra os aumentos de preços em função do interesse estratégico da economia e que os reajustes não devem ser repassados imediatamente para os consumidores.

Segundo Mercadante, o fato de o índice oficial de inflação, o IPCA, estar próximo ao teto da meta (6,5%) se deve a um quadro de forte impacto dos preços das commodities e um mercado de trabalho aquecido. Esses fatos pressionam os preços, mas o “controle da inflação sempre foi uma dimensão inegociável”, afirmou. Para Mercadante, baixar o centro da meta da inflação de 4,5% para 3% – como propôs o candidato do PSB à presidência, Eduardo Campos – significaria passar a taxa de desemprego de 4,7% para 8,3%.

Deixe um comentário

Rolar para cima