Fake news, rachadinha e baixaria nas eleições da OAB-DF

orlandopontesPor ,19/11/2021 às 13:13, Atualizado em 23/11/2021 às 10:45

Eleição para escolha do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Secção DF para o triênio 2022/24, que acontece neste domingo (21)

oab Lucas Kontoyanis
Lucas Kontoyanis, estrategista da chapa Você na Ordem. Foto: Reprodução/Minas Brasília

A eleição para escolha do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Secção DF para o triênio 2022/24, que acontece neste domingo (21) de forma digital e presencial, descambou para a baixaria. Muito em função das questionáveis estratégias do coordenador da chapa Você na Ordem, Lucas Kontoyanis.

Fake News

Tido como articulador de campanhas políticas, Kontoyanis optou por produzir vídeos apócrifos e a espalhar fake news para atacar adversários. Mas o feitiço virou contra o feiticeiro, e, em vez de ganhar votos, afastou muitos possíveis apoiadores da candidata Thaís Riedel.

Na última semana da campanha, Kontoyanis experimentou do próprio veneno. Viralizou na internet uma matéria com um áudio em que ele fala sobre seus métodos para eleger políticos e depois dividir com eles o exercício do poder.

oab thaís riedel
Thaís Riedel, candidata a presidente da OAB-DF. Foto: Reprodução

Rachadinha

Ele diz na gravação:

“Tem gente que me critica muito porque, quando eu chamo um candidato pra conversar, eu digo pra ele: olha, tudo bem. Você vai vir para o meu partido, vai vir pro meu grupo. Mas, aqui é o seguinte: metade do seu poder é do grupo, a outra metade é sua”.

Para quem sabe ler, pingo é letra. Será que, se eleita, Thaís Riedel exercerá plenamente o poder de presidente da OAB-DF? O Brasília Capital tentou fazer esta pergunta a ela, mas até a publicação desta matéria a candidata não havia retornado a ligação. Também não recebeu retorno de Lucas Kontoyanis. O espaço à manifestação segue aberto.

Sardinha

Kontoyanes jacta-se de ter elegido quatro deputados em 2018, quando era presidente do partido Avante no DF. E cita nominalmente o distrital Reginaldo Sardinha (Avante).

Leia mais no Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima