CPI da Pandemia ouve irmãos Miranda sobre compra da Covaxin

bsbcapitalPor ,25/06/2021 às 16:47, Atualizado em 25/06/2021 às 18:28

O servidor Luis Ricardo Miranda disse que em 24 de março foi aberta licença de importação da Covaxin e foi solicitada excepcionalidade à Anvisa, que a negou em 30 de março pela falta de certificado de boas práticas

Luis Ricardo Miranda, servidor do Ministério da Saúde, relata pressões para compra da Covaxin. Fotos: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Em depoimento nesta tarde (25), na CPI da Pandemina, no Senado Federal, o servidor Luis Ricardo Miranda disse que recebeu diversas mensagens e chamadas para agilizar a autorização do contrato para importação da Covaxin, entre elas a do ex-coordenador de Saúde, o tenente-coronel Alex Marinho.

O deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), que também está depondo, defendeu a denúncia, feita por ele e seu irmão, de irregularidades no contrato da Covaxin: “Se não fôssemos nós, US$ 45 milhões teriam sido pagos por uma vacina que não resolveu e nem sei se vai resolver”.

Deixe um comentário

Rolar para cima