Brasília dos Ipês que explodem em cores

Netto CostaPor ,27/07/2021 às 17:01, Atualizado em 31/07/2021 às 12:12

Os brasilienses amam e a Novacap pretende plantar mais 40 mil mudas de ipês no DF este ano

Os ipês emolduram a alegria das pessoas por todo o DF. Fotos: Kiko Paz

Quem anda pelas ruas do Distrito Federal se encanta com a florada dos ipês roxos que começou no final de julho. Os brasilienses, em geral, são apaixonados pelos buquês coloridos que explodem em cores, dando vida ao cerrado seco desta época.

Famílias inteiras se divertem junto às árvores. Tirando fotos para postar em redes sociais, ou simplesmente para guardar como recordação. A espécie, considerada símbolo de Brasília, se torna a sensação de quem mora ou visita a capital nessa época do ano.

Em 2020, a Novacap plantou cerca de 30 mil árvores. O Eixo Monumental recebeu mais de 3 mil mudas e a Estrada Parque Taguatinga (EPTG), 2.500. No programa de arborização deste ano serão plantados mais de 40 mil ipês em todo o DF.

O primeiro ipê que aparece é sempre o roxo. A espécie costuma ter a floração entre maio e agosto e, dependendo do frio e da estiagem, pode surgir em meses anteriores com a folhagem despida.

Por ter a chance de florescer mais de uma vez na mesma estação, as flores podem coexistir com as folhas velhas. Neste caso, se houver nova floração, ela apresenta menor intensidade e fica limitada a poucos galhos.

Em seguida, é a vez do amarelo. Sua floração acontece de julho a setembro e é uma das cores mais contempladas pela população. A espécie pode florir mais de uma vez na estação, com intervalo de dez a quinze dias. De setembro a novembro, os frutos amadurecem, com o surgimento de novas folhas. Já o ipê-amarelo peludo, começa a florescer no período entre agosto e outubro.

O ipê branco começa a enfeitar as ruas entre agosto e dezembro. A mesma planta pode ter duas ou três florações seguidas na mesma estação. Porém, só uma delas é de maior intensidade.

Pouco conhecido pela população, o Ipê verde começa sua floração entre agosto e setembro, com a planta quase toda despida de folhagem, e seus frutos amadurecem entre setembro e outubro.

Último a florir, o Ipê rosa, na sua floração, perde as folhas e se encobre de flores. As árvores também são capazes de florescer mais de uma vez na mesma estação. A época de florescimento é a mesma da frutificação, que ocorre entre agosto a outubro. Algumas unidades podem florescer antecipadamente.

Está aberta uma nova temporada de caça aos belíssimos ipês! Armem-se de olhares atentos, câmeras, celulares… A árvore mais bonita pode estar à espreita.

Falta plantar frutíferas

A paixão pelos ipês é compartilhada por todos os brasilienses. “Esse projeto da Novacap é maravilhoso”, elogia o professor Diomar Gonçalves de Faria. Mas alguns demonstram preocupação com a fauna e defendem que a Novacap deveria diversificar, principalmente plantando árvores frutíferas.

O jornalista Chico Sant’Anna argumenta que as frutíferas típicas do Cerrado alimentam as aves. Ele lembra que o ex-diretor do Departamento de Parques e Jardins Ozanan Coelho, pioneiro na arborização de Brasília, tinha essa preocupação.

Ozanan plantou jaqueiras e mangueiras ao longo da Estrada Parque Dom Bosco (EPDB) e do Eixão e na Praça do Buriti. Há poucos anos, a Administração do Park Way criou a Alameda do Pequi. “Poderiam plantar jacarandá mimoso, mogno, jatobá e pau brasil, que estão em extinção”, defende Sant’Anna.

1 comentário em “Brasília dos Ipês que explodem em cores”

  1. Rosana Stockler Clímaco

    Acho estranho chamar de roxo o ipê tabebuia rosa , o primeiro a florescer…ou estão se referindo ao roxo mesmo, o jacarandá do cerrado???

Deixe um comentário

Rolar para cima