Após internação para exames, Dilma Rousseff tem alta em Porto Alegre

bsbcapitalPor ,25/05/2021 às 18:23, Atualizado em 25/05/2021 às 18:23

Ex-presidente foi internada na segunda-feira (24), para exames. Segundo assessoria, nada foi registrado e ela está em casa, em bom estado de saúde.

Dilma Rousseff Foto: Divulgação

A ex-presidente da República Dilma Rousseff teve alta após internação para exames, no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, nesta terça-feira (25).

Segundo a assessoria de comunicação, ela havia dado entrada após sentir-se mal, na noite de segunda (24). Nada foi apontado nos exames, e ela foi liberada às 15h30 para ir para casa, em bom estado de saúde.

A assessoria do PT informou que Dilma participava de uma reunião virtual, quando teve uma indisposição. Ela teria comentado que não se sentia bem.

“Depois de encerrada a reunião, o Miguel Rossetto [ex-deputado federal e ex-ministro no governo de Dilma] foi até a casa dela, daí ela já estava se sentindo melhor. Mas acharam que era de bom tom ela ir ao hospital, fazer exames e verificar se não era nada demais. Ela está em observação agora de manhã”, disse a assessoria. Dilma fez os exames, e os resultados foram bons, informou o PT.

A assessoria de imprensa da ex-presidente comunicou que ela foi acompanhada pelo médico Paulo Caramori. Não foi informado o que causou o mal-estar.

O Hospital Moinhos de Vento não se manifestou.

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, em postagem, afirmou que conversou com Dilma às 9h de terça, que ela se sentia melhor e estava “falante como sempre”. “Se Deus quiser em breve já estará de volta em casa, recuperada e com muita disposição pra nossa luta”.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Embora tenha nascido em Belo Horizonte (MG), a ex-presidente construiu sua carreira política em Porto Alegre. Em 2016, após deixar o Palácio da Alvorada, ela voltou para a capital gaúcha, onde parte de sua família mora. Dilma tem 73 anos e recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid, em março.

(*) Com informações de G1

Deixe um comentário

Rolar para cima