Victor Alegria, o nosso Mecenas

mmPor ,02/05/2015 às 9:28, Atualizado em 02/05/2015 às 9:28

De espírito e fala jovem, mesmo a caminho dos oitenta anos de idade cronológica (que para alguns equivalem a Invernos, mas que para ele representam Primaveras), o dono da Editora Thesaurus, Victor Alegria me faz lembrar, por suas ações, de um notório personagem da Roma Antiga. Ou seja: Galus Clinius Maecenas,  que se notabilizou como protetor e patrocinador de artistas e …

Victor Alegria, o nosso Mecenas Leia mais »

De espírito e fala jovem, mesmo a caminho dos oitenta anos de idade cronológica (que para alguns equivalem a Invernos, mas que para ele representam Primaveras), o dono da Editora Thesaurus, Victor Alegria me faz lembrar, por suas ações, de um notório personagem da Roma Antiga. Ou seja: Galus Clinius Maecenas,  que se notabilizou como protetor e patrocinador de artistas e escritores, inclusive de Virgílio e Horácio, isto por volta dos 31 anos a.C.

Quanto ao Mecenas candango, é difícil afirmar se ele é de fato cidadão português nascido em Arouca ou Cidadão Honorário de Brasília, título que recebeu como nova Certidão de Idade, muito embora Portugal já lhe tenha outorgado a Comenda da Ordem do Infante Dom Henrique. Mas com títulos ou sem títulos, Victor Alegria está acima de meras condecorações, até porque é poliglota identificado com a Cultura, não obstante sua simplicidade cativante, sempre trajado em mangas de camisa e as calças frouxas penduradas em grossos suspensórios.

Muito embora a bandeira que sempre empunhou (e continua empunhando) seja Democracia, Liberdade, Paz, Justiça Social e Amizade entre os povos, Victor Alegria chegou ao Brasil em dezembro de 1963, fugido da ditadura Salazar, após temporada nas masmorras de Lisboa, juntamente com outros intelectuais patrícios, simplesmente porque era livre-pensador.  Por falta de sorte, com o Golpe Militar de 1964, ele sofreria a mesma opressão dos generais, que inclusive fecharam a sua primeira livraria em Brasília, na qual se reuniam escritores e estudantes. Então foi preso, torturado nos temidos paus-de-arara e desterrado na Ilha das Cobras e na Ilha das Flores.

Mesmo com o corpo afetado pelas torturas físicas, Alegria retornou à sua atividade de livreiro em Brasília e transformou a Editora Thesaurus; com a ajuda de seu filho Victor Tagore, numa das mais importantes empresas do mercado cultural do País, com mais de três mil títulos publicados. Protagonizando o papel de Mecenas, continua ajudando (anonimamente) escritores novatos. Mas a sua maior fixação é extensiva à cultura popular: há mais de 20 anos que a Thesaurus distribui, gratuitamente, os chamados Livros de Rua, em formatos minúsculos, sobre escritores e poetas brasileiros.

 

Leia Mais:

Parabéns, Brasília, com amor!

O Parto da Montanha

Quando a poesia é necessária

 

Deixe um comentário

Rolar para cima