Um conto de fadas

bsbcapitalPor ,06/07/2013 às 6:06, Atualizado em 06/07/2013 às 6:06

“Olhou para Cinderela, escolheu o vestido mais bonito e com sua varinha mágica transformou-a numa princesa!”. Assim como no famoso conto dos irmãos Grimm, o Baile de Debutantes das garotas do Novo Gama (GO) teve um final encantador e maravilhoso. Trata-se do projeto “Dia de Cinderela”, que há cinco anos vem realizando o sonho das jovens …

Um conto de fadas Leia mais »

“Olhou para Cinderela, escolheu o vestido mais bonito e com sua varinha mágica transformou-a numa princesa!”. Assim como no famoso conto dos irmãos Grimm, o Baile de Debutantes das garotas do Novo Gama (GO) teve um final encantador e maravilhoso. Trata-se do projeto “Dia de Cinderela”, que há cinco anos vem realizando o sonho das jovens que completam 15 anos: festejar com as pompas tradicionais a nova fase de suas vidas.

O primeiro Baile de Debutantes Comunitário aconteceu em 2010, por iniciativa da então Administradora de Santa Maria, Fabiana Cambraia. A partir daí, a fada madrinha dessas mocinhas tem sido a paraibana Filomena Vicente de Araújo, 56 anos, mãe de quatro filhos. Mena, como é conhecida, abraçou a causa “pelo simples prazer de ver a felicidade estampada nos rostos dessas garotas que, por causa da baixa renda das famílias, não teriam condições de fazer um Baile de Debutante”.

No sábado (29/6), aconteceu o quinto evento no Ginásio de Esportes do Novo Gama, onde se confraternizaram as quinze emocionadas famílias das garotas selecionadas pelo Conselho Tutelar do Novo Gama e por escolas públicas da região. Embora a causa seja nobre, a ajuda ainda é pouca. “As pessoas ainda não perceberam a grandiosidade de um evento como este”, desabafa Mena.

E não é pra menos. As debutantes têm um dia inteiro dedicado a elas, com atividades como palestras educativas com assistentes sociais, médicos ginecologistas e advogados da Vara da Infância e Juventude, além de visitas aos pontos turísticos de Brasília. As fotos tiradas nessa fase de preparação e as do baile fazem parte um CD entregue a cada uma.

No baile não faltou a tradicional valsa com animados rapazes. “Este ano, o uniforme dos cadetes não ficou pronto a tempo. Tivemos que alugar terno para os rapazes dançarem a valsa com as jovens”, contou Mena. Mas ninguém percebeu esse detalhe. Via-se em cada lágrima e em cada sorriso, apenas a felicidade da realização do Dia da Cinderela da vida de cada uma das jovens.

Por  Maria Eliete Bezerra

Deixe um comentário

Rolar para cima