Taguatinga completa um ano sem skatepark da Praça do DI

gabrielpontesPor ,26/08/2015 às 18:40, Atualizado em 26/08/2015 às 18:40

Trapalhada da administração de Taguatinga, que destruiu a pista de skate da praça do DI, segue sem previsão de reparo. Aos skatistas, resta a saudade   No dia 7 de agosto de 2014, a Praça do DI, em Taguatinga, perdia um de seus pontos de encontro mais tradicionais: a pista de skate. Antônio Sabino, administrador …

Taguatinga completa um ano sem skatepark da Praça do DI Leia mais »

Trapalhada da administração de Taguatinga, que destruiu a pista de skate da praça do DI, segue sem previsão de reparo. Aos skatistas, resta a saudade
 
comercial sul 31-01 004
Mesmo durante a demolição, os skatistas tentavam se equilibrar nos destroços.Fotos: Gustavo Goes

No dia 7 de agosto de 2014, a Praça do DI, em Taguatinga, perdia um de seus pontos de encontro mais tradicionais: a pista de skate. Antônio Sabino, administrador da cidade à época, atendeu ao pedido de moradores e comerciantes que reclamavam da “bagunça” dos skatistas, e mandou demolir o equipamento. A mobilização dos praticantes, porém, fez o governo se arrepender da ação e prometeu construir outra pista.

O skatepark do DI era o mais antigo de Taguatinga. Frequentadores mais antigos da praça contabilizam que durante 30 anos a pista era usada como ponto de encontro por praticantes de todo o DF. Dois dias após a trapalhada, a administração anunciou que construiria uma nova pista. E esta teria, além de instalações mais modernas, bebedouro, iluminação, banheiro e acesso controlado. Teria. Até hoje o projeto não saiu do papel. Á época, chegou-se a executar o estudo topográfico da área para a construção do novo skatepark.

De acordo com a administração de Taguatinga, a área da pista de skate da Praça do DI encontra-se sub-júdice. Antes de executar um novo processo licitatório ou de firmar uma parceria público-privada (PPP) para construir a nova pista, é necessário aguardar as decisões, julgamentos e recomendações do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

Um ano depois, apenas uma faixa lembra a saudosa pista que passou mais de 30 anos movimentando a Praça. Foto: Reprodução
Skatistas usaram uma faixa para lembrar a pista que movimentou a Praça por mais de 30 anos.

Há uma suspeita no TCDF de prática não compatível aos princípios da administração pública no caso da pista de skate da Praça do DI. A denúncia, que ainda está tramitando no Tribunal, mostra que o skatepark havia passado por uma reforma ao custo de R$ 146 mil pouco mais de dois anos antes da destruição, o que caracteriza que a pista não estava abandonada nem era passível de demolição.

Após os protestos, a administração fez o estudo topográfico da área para construir uma nova pista. Foto: Reprodução
Em 2014, a Regional fez o estudo topográfico da área para construir uma nova pista.

Ítalo Almeida era frequentador assíduo da pista da Praça do DI. Após a demolição, desistiu do esporte e agora anda de skate apenas pelas ruas da cidade. “De vez em quando”, esclarece. Os antigos frequentadores da praça estimam que 70% dos skatistas que usavam o skatepark do DI desistiram do esporte. “Os 30% que continuam praticando estão indo para Águas Claras”, afirma Ítalo.

Comércio                      

O prejuízo também chegou ao comércio da Praça do DI. Hugo César, gerente de uma loja de skate, estima que as vendas caíram 60% após a destruição do skatepark. “Antes, as pessoas reclamavam dos skatistas. Agora, a praça só é frequentada por moradores de rua e drogados. Será que eles preferem este abandono em vez do skatepark?”,questiona Hugo.

Há um ano, Hugo foi um dos organizadores da manifestação dos skatistas em frente à administração de Taguatinga, quando a regional prometeu que, além da reconstrução da pista da Praça do DI, seria feita outra no Taguaparque. A pista do Taguaparque, porém, é da modalidade street, explicam os skatistas. Quem pratica a modalidade vertical, em Ralf Pipe, continua sem local para andar de skate.


Leia mais:


Brasília chega às oitavas da Sul-Americana


Aneel aprova reajuste e conta de luz no DF sobe, de novo


Taxistas proibidos de cobrar bandeira 2 no aeroporto JK


 

Deixe um comentário

Rolar para cima