Uber cobra tarifa até nove vezes mais cara de clientes no réveillon

bsbcapitalPor ,02/01/2016 às 17:01, Atualizado em 09/07/2016 às 3:40

Quem precisou do Uber na noite de réveillon em Brasília se assustou com o preço cobrado pelo aplicativo. A chamada tarifa dinâmica, aplicada na noite do dia 31, multiplicou de cinco a nove vezes o valor da corrida. De acordo com a assessoria do Uber, o preço dinâmico é usado “quando há mais pessoas buscando …

Uber cobra tarifa até nove vezes mais cara de clientes no réveillon Leia mais »

uber

Quem precisou do Uber na noite de réveillon em Brasília se assustou com o preço cobrado pelo aplicativo. A chamada tarifa dinâmica, aplicada na noite do dia 31, multiplicou de cinco a nove vezes o valor da corrida.

De acordo com a assessoria do Uber, o preço dinâmico é usado “quando há mais pessoas buscando o serviço pelo aplicativo do que motoristas disponíveis para atendê-las”. Os preços variam para incentivar que mais motoristas se conectem ao aplicativo e voltam ao normal quando a oferta de carros sobe.

A arquiteta Daniela Rodrigues pagou impressionantes R$ 556 para ir de Águas Claras para o Pontão do Lago Sul. “Este é um trajeto que eu costumo fazer. Normalmente, o preço não passa de R$ 85. No final da minha noite de réveillon, paguei mais caro no transporte do que na própria festa”, conta. Para voltar para casa, o preço foi R$ 101, no trajeto do Lago Sul para Águas Claras.

A agente de viagens Aline Souza também começou 2016 com uma surpresa. O preço pago por ela para ir de Águas Claras para a boate Bamboa, no Setor Hípico, foi R$ 198. “Das outras vezes eu paguei entre R$ 35 e 40 para fazer o mesmo caminho. Quando solicitei o carro, o aplicativo avisou que a tarifa estava mais cara, mas a estimativa era de gastar entre R$ 80 e R$ 90. Levei um susto quando vi o débito de R$ 198”.

Aline estava com mais quatro pessoas e tiveram que pedir dois carros no Uber. Ambos saíram do mesmo ponto e foram para a mesma casa de shows. Uma corrida custou R$ 248 e a outra R$ 332. Na volta, um grupo pagou R$ 70 e outro R$ 37, ambos com a mesma rota.


Leia mais:


Noroeste não é o vilão da Asa Norte, aponta estudo da UnB


Sebos são a saída para economizar na lista de materiais


 

Deixe um comentário

Rolar para cima