Tocha olímpica percorre 105 km no DF nesta terça; veja detalhes do trajeto

BSB Capital 03/05/2016 às 9:00, Atualizado em 09/07/2016 às 3:45

A tocha olímpica chega a Brasília nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (3) para uma “maratona” de 105 km que passará pelos principais monumentos do Distrito Federal, em uma programação que se estende até o fim da noite. O fogo vai percorrer cinco regiões administrativas por terra, água e ar, carregado por medalhistas olímpicos, …

Tocha olímpica percorre 105 km no DF nesta terça; veja detalhes do trajeto Leia mais »

1462276044472682

A tocha olímpica chega a Brasília nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (3) para uma “maratona” de 105 km que passará pelos principais monumentos do Distrito Federal, em uma programação que se estende até o fim da noite. O fogo vai percorrer cinco regiões administrativas por terra, água e ar, carregado por medalhistas olímpicos, representantes de comunidades indígenas e estudantes do DF, entre outros.

O revezamento contará com 143 condutores da tocha, que vão levar o símbolo dos Jogos Olímpicos por 40 km do percurso. A corrida tem previsão para começar às 10h30, quando a capitã da seleção brasileira de vôlei Fabiana Claudino descerá a rampa do Palácio do Planalto com a chama olímpica.

O trajeto termina em um retorno à Esplanada, por volta das 20h50, nas mãos da medalhista olímpica Leila Barros. A tocha será recepcionada no local em meio a uma celebração musical, que começa no fim da tarde e inclui shows de Daniela Mercury, Diogo Nogueira e Ellen Oléria, além de artistas locais. Os shows são gratuitos e começam às 16h.

Shows
Na primeira parte da festa, sobem ao palco Zé do Pife e as Juvelinas e o grupo de maracatu Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro, com apresentações marcadas pelos ritmos nordestinos e pelos instrumentos artesanais.

Também são esperadas as cantoras de Brasília Dhi Ribeiro e Ellen Oléria. Nascida no Rio de Janeiro e radicada em Brasília, Dhi traz no repertório influências do samba e do tango no show previsto para começar às 19h. Criada em Ceilândia, Ellen Oléria iniciou a carreira ainda adolescente, aos 16 anos, e ganhou notoriedade depois de participar da versão brasileira da competição The Voice.

Filho do sambista João Nogueira, Diogo Nogueira é famoso pelas músicas “Deixa eu te amar” e “Espelho”. O show está marcado para as 21h. Em seguida, às 23h, Daniela Mercury encerra a noite em grande estilo unindo sucessos como “Swing da cor” e “O canto da cidade” a músicas do novo álbum “Vinil virtual”.

Daniela Mercury, Diogo Nogueira e Ellen Oléria se apresentam na Esplanada dos Ministérios (Foto: Divulgação)
Daniela Mercury, Diogo Nogueira e Ellen Oléria se apresentam na Esplanada dos Ministérios (Foto: Divulgação)

Trânsito
Vias e estacionamentos foram interditados na noite desta segunda (2) para garantir a tranquilidade do percurso. A capital federal é a primeira cidade do país a receber o símbolo olímpico, que percorrerá os 26 estados até o início da competição.

Em alguns trechos, o trânsito foi bloqueado às 19h. A lista inclui a via de acesso ao Congresso Nacional conhecida como Alameda dos Estados, em frente à rampa presidencial, e as vias internas do complexo esportivo às margens do Eixo Monumental, onde fica o estádio Mané Garrincha.

Em Taguatinga, os estacionamentos das avenidas Central, Comercial Sul, Samdu Sul e Vila Dimas serão bloqueados a partir das 22h e liberados por volta das 16h30, já na terça-feira. A reabertura será gradual, conforme a tocha passa por cada um dos trechos.

O acesso aos estacionamentos das quadras 107, 108, 307 e 308 Sul também será impedido às 22h. As vias dessas quadras serão usadas para garantir o acesso da tocha à Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima, um dos monumentos que serão visitados pelo fogo olímpico.

O mesmo vai acontecer com os estacionamentos entre o Touring e a Praça Norte do Conjunto Nacional, e as vagas que ficam em frente ao Memorial JK e ao Memorial dos Povos Indígenas, no Eixo Monumental. Os bolsões de estacionamento da Praça das Fontes, no Parque da Cidade, também ficam indisponíveis durante o evento.

Ibrahim al-Hussein, nadador sírio refugiado que perdeu parte da perna em um bombardeio, carrega a tocha olímpica pelo campo de refugiados Eleonas, em Atenas, na Grécia, na terça (26) (Foto: AFP Photo/Louisa )
Ibrahim al-Hussein, nadador sírio refugiado que perdeu parte da perna em um bombardeio, carrega a tocha olímpica pelo campo de refugiados Eleonas, em Atenas, na Grécia, no fim de abril (Foto: AFP Photo/Louisa )

Segurança
O esquema de segurança envolverá 3,5 mil profissionais das polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros e da Secretaria de Segurança Pública. Destes, 148 oficiais atuarão junto ao comboio da tocha por todo o percurso. A Força Nacional fará “ação aproximada” em algumas partes do percurso, mas não atuará por todo o trajeto, segundo o GDF.

A secretária de Segurança, Márcia de Alencar, afirmou que o risco de manifestações políticas está sendo monitorado e foi incluído no plano operacional. Não há, no entanto, previsão de alambrados ou cordões de revista na Esplanada dos Ministérios com a intenção específica de barrar os protestos.

“Temos que seguir todo o protocolo internacional. Nossa inteligência fez um mapeamento das possíveis manifestações para que sejam neutralizadas e não interfiram no trajeto da Tocha. A Esplanada, nesse dia, será da cultura, da diversidade e da paz”, declarou Márcia.

Custo e novidades
O governo do DF deve gastar cerca de R$ 3,8 milhões com toda a estrutura para receber o evento. Desse total, R$ 541,6 mil serão usados para a montagem do palco, de banheiros químicos e quiosques para a celebração na Esplanada. Os cachês artísticos totalizam R$ 500 mil e serão pagos com verbas dos ministérios da Cultura e do Turismo.

Entre os monumentos a serem visitados durante o percurso da Tocha estão a Igrejinha da 307 Sul, o Palácio do Itamaraty, o Memorial JK e a Ponte JK. No Memorial dos Povos Indígenas, a chama será recebida por representantes de tribos da região. O roteiro prevê uma “cerimônia do fogo” similar às realizadas pelas tribos.

A tocha olímpica é carregada pelo o ex-jogador de vôlei Giovane na cerimônia de acendimento da tocha para os Jogos Olímpicos Rio 2016 no local da antiga Olímpia, na Grécia (Foto: Alkis Konstantinidis/Reuters)
A tocha olímpica é carregada pelo o ex-jogador de vôlei Giovane na cerimônia de acendimento da tocha para os Jogos Olímpicos Rio 2016 no local da antiga Olímpia, na Grécia (Foto: Alkis Konstantinidis/Reuters)

O percurso de revezamento da tocha olímpica se encerra na Torre de TV, que terá funcionamento especial na terça. Pela primeira vez, o mirante estará aberto durante o período noturno, até as 22h30. O secretário-adjunto de Turismo, Jaime Recena, afirma que uma nova iluminação já foi testada e será inaugurada durante o evento.

“É um  outro presente para a cidade, as pessoas poderem contemplar essa visão. É um primeiro teste, para sabermos a demanda que haverá pela visita. Se der certo, nossa ideia é oferecer novamente em datas e momentos especiais”, afirmou Recena.

Percurso extenso
A tocha chega ao Brasil por volta das 5h40, no Aeroporto Internacional de Brasília. Como o Comitê Olímpico Internacional (COI) veta a participação de qualquer político no revezamento, o governador Rollemberg e a presidente Dilma Rousseff estarão presentes em cerimônias no terminal e no Palácio do Planalto, respectivamente.

O percurso da tocha foi detalhado na última semana. Além das principais atrações turísticas no Eixo Monumental, o percurso inclui trechos da Asa Sul, do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), do Riacho Fundo II e de Taguatinga.

O fogo também será levado pelo Lago Paranoá e pelo Parque Nacional de Brasília, em reverência às belezas naturais da capital. Dos 104 quilômetros totais de percurso, 40 quilômetros serão feitos com a tocha nas mãos dos condutores, em barcos, veículos, caminhada, corrida, cavalgada e rapel.

A peregrinação do símbolo das Olímpiadas só termina no dia 5 de agosto, quando começa a competição. O fogo vem diretamente da Suíça, onde será exposto no Museu Olímpico de Lausanne neste fim de semana. A tocha foi acesa no dia 21, na Grécia, e só será apagada ao fim da competição olímpica, em agosto.

Veja os horários estimados em que a tocha passará por cada região:

10h — Início do revezamento no Palácio do Planalto em direção ao Congresso Nacional
10h21 — Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida
10h37 — Palácio do Itamaraty
10h46 — Praça dos Três Poderes
11h19 — Descida da Ponte JK ao Lago Paranoá por rapel. Depois condução em embarcação e em canoa havaiana
11h37 — Chegada ao Pontão do Lago Sul
11h55 — Descida de rapel de helicóptero para o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha
12h05 — Evento no estádio
12h17 — Complexo Aquático Cláudio Coutinho
12h47 — Parque Nacional de Brasília (Água Mineral)
12h56 às 13h13 — Pausa
13h28 — Parada para ação de patrocinador no SIA13h38 — SIA, entre os Trechos 1 e 2
14h14 às 15h20 — Taguatinga (Avenida Central, Comercial Sul, Samdu Sul, Praça Vila Dimas)
15h20 — Parada para ação de patrocinador em Taguatinga
15h34 — Regimento de Polícia Montada da Polícia Militar do DF, no Riacho Fundo 1
15h58 — Avenida Central do Riacho Fundo 1
16h20 — Centro Olímpico e Paraolímpico do Riacho Fundo 1
16h57 — L2 Sul (na altura da 616 Sul)
17h49 — Igrejinha, 308 Sul
18h07 — Eixo L, da 207 Sul até a 204 Sul
18h22 — Plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto em direção ao Setor Comercial Sul
18h47 — Parada para ação de patrocinador no Setor Comercial Sul
19h11 — Parque da Cidade
19h29 às 20 horas — Parada técnica no Centro de Convenções Ulysses Guimarães
20 horas — Memoriais JK e dos Povos Indígenas
20h16 — Eixo Monumental, saída do memorial para a Torre de TV
20h23 — Torre de TV/Fonte Luminosa
20h33 — Eixo Monumental, saída da Torre para palco da celebração
20h50 — Chegada da tocha ao palco da festa de celebração

 

 


Suspensão do WhatsApp. O que a legislação brasileira prevê?


Whatsapp vai ser bloqueado por 72h nesta tarde


Com Joaquim Cruz , GDF anuncia condutores em Brasília; veja lista


Deixe um comentário

Rolar para cima