Tiro que matou dançarino do ‘Esquenta’ saiu da arma de um PM, conclui polícia

bsbcapitalPor ,04/03/2015 às 15:00, Atualizado em 04/03/2015 às 15:00

A Polícia Civil do Rio de Janeiro concluiu nesta terça-feira (3) a investigação sobre a morte do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, o DG, do programa Esquenta! da TV Globo, dia 22 de abril do ano passado. O tiro que matou o jovem de 26 anos saiu da arma de um policial militar, de acordo com o inquérito …

Tiro que matou dançarino do ‘Esquenta’ saiu da arma de um PM, conclui polícia Leia mais »

douglas_morto

A Polícia Civil do Rio de Janeiro concluiu nesta terça-feira (3) a investigação sobre a morte do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, o DG, do programa Esquenta! da TV Globo, dia 22 de abril do ano passado. O tiro que matou o jovem de 26 anos saiu da arma de um policial militar, de acordo com o inquérito obtido com exclusividade pelo Jornal Nacional.

De acordo com a reportagem, o delegado Gilberto Ribeiro afirmou que vai pedir a prisão do soldado Walter Saldanha Correa Júnior, acusado de homicídio. Segundo a investigação, foi ele quem matou com um tiro o dançarino. Outro seis PMs vão responder por falso testemunho e prevaricação. Dois policiais foram inocentados.

O corpo de DG foi encontrado caído em um corredor, nos fundos de uma creche, depois de uma madrugada de tiroteio na Favela Pavão-Pavãozinho, em Copacabana. O laudo da necropsia identificou que o tiro atingiu as costas de DG. Na época da morte, parentes e amigos disseram que DG tinha ido à comunidade visitar a filha, foi confundido com traficantes e fugiu para se proteger.

Deixe um comentário

Rolar para cima