Setor de serviços sobe

bsbcapitalPor ,03/03/2013 às 10:26, Atualizado em 03/03/2013 às 10:26

O índice medido pelo IBGE fechou 2012 em 5,43%, mas os preços dos empregados domésticos, do salão de beleza e do médico ficaram, em média, 10% mais altos no primeiro mês do ano. Para evitar um rombo no orçamento, uma das opções é cortar gastos O caro setor de serviços — reconhecido como um peso …

Setor de serviços sobe Leia mais »

O índice medido pelo IBGE fechou 2012 em 5,43%, mas os preços dos empregados domésticos, do salão de beleza e do médico ficaram, em média, 10% mais altos no primeiro mês do ano. Para evitar um rombo no orçamento, uma das opções é cortar gastos

O caro setor de serviços — reconhecido como um peso no orçamento familiar — subiu, em média, 10% na capital federal nos últimos 12 meses. O ano começou, e os gastos com estética, reparos e saúde pressionaram o bolso do consumidor local. Enquanto a inflação média, em Brasília, medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), encerrou 2012 em 5,43%, a contratação das atividades que compõem esse segmento quase dobrou. Para evitar qualquer desequilíbrio nas contas domésticas, rever prioridades é uma das exigências impostas aos brasilienses.


O custo com empregados domésticos foi um dos principais vetores da escalada de preços no Distrito Federal. Para essa categoria, a inflação foi de 11,47% em 2012, ficando atrás somente da mão de obra para reparos e consertos, como pedreiros, marceneiros e estofadores, que teve alta de 11,82%.


Fonte: Correio Braziliense

Extratos dos Jornais

Deixe um comentário

Rolar para cima