Saída pela direita

bsbcapitalPor ,07/12/2015 às 4:14, Atualizado em 07/12/2015 às 4:14

Neste final de semana ocorreram duas eleições uma na França e outra na Venezuela. Na mesma tendência da Argentina, para ambos os países, a saída foi pela direita. Na França, a Frente Nacional venceu em seis regiões no primeiro turno com Marine Le Pen. Foi uma espécie de protesto contra os partidos tradicionais. Com a …

Saída pela direita Leia mais »

Neste final de semana ocorreram duas eleições uma na França e outra na Venezuela. Na mesma tendência da Argentina, para ambos os países, a saída foi pela direita.

Na França, a Frente Nacional venceu em seis regiões no primeiro turno com Marine Le Pen. Foi uma espécie de protesto contra os partidos tradicionais. Com a recente onda de ataques terrorista e o movimento dos refugiados, os franceses querem mudanças e Le Pen parece que representa isso. O segundo turno será no próximo domingo, 13 de dezembro.

Na Venezuela, Maduro admitiu a derrota nas eleições legislativas ocorridas ontem, 06.12.  Segundo o primeiro boletim oficial, 99 deputados da aliança opositora foram eleitos contra 46 chavistas. Essa maioria eleita agora vai designar a junta diretiva da Câmara. A posse será dia 5 de janeiro.

Esse grupo pode, dentre outras coisas, aprovar uma lei de anistia que permita livrar da responsabilidade penal, opositores que estão presos como Leopoldo López.

Esse movimento reforça a decisão das urnas argentinas que deram vitória a Maurício Macri depois de 12 anos de governo Kirchner.

No Brasil, a semana começa com a indicação dos nomes para a formação da comissão que vai analisar o pedido de impeachment. Paralelamente o governo já se movimenta, via Jacques Wagner, sugerindo uma espécie de “recall” para a presidente, via um plebiscito, conforme afirma Camarotti em seu blog no G1.

A saída aqui, também seria pela direita? Vamos aguardar.

 

Por Zilta Marinho

 

Oposição vence eleições legislativas na Venezuela


Governo não sabe como pagar diárias na conferência da ONU em Paris


Joseph Blatter renuncia ao cargo de presidente da Fifa e convoca novas eleições na entidade


 

Deixe um comentário

Rolar para cima