Rollemberg destoa do PSB e prega ‘independência’

BSB Capital 23/09/2015 às 8:56, Atualizado em 23/09/2015 às 8:56

Ao 247, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg afirmou que o PSB deveria definir sua posição em relação ao governo da presidente Dilma Rousseff em reunião da Executiva Nacional, e não num encontro da bancada; “o certo, agora, é contribuir para que o País encontre saídas para a crise que atinge a todos”, disse …

Rollemberg destoa do PSB e prega ‘independência’ Leia mais »

PV-GDF-20150617-8

Ao 247, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg afirmou que o PSB deveria definir sua posição em relação ao governo da presidente Dilma Rousseff em reunião da Executiva Nacional, e não num encontro da bancada; “o certo, agora, é contribuir para que o País encontre saídas para a crise que atinge a todos”, disse ele; ontem, numa reunião liderada por Carlos Siqueira, presidente da legenda, o PSB anunciou ser oposição e também o apoio a eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, destoou do posicionamento adotado em nota oficial pelo PSB, na tarde de ontem, quando o presidente da legenda, Carlos Siqueira, anunciou que, a partir de agora, o partido será oposição e, mais do que isso, apoiará eventual pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff .

“Qualquer decisão sobre a relação do PSB com o governo da presidente Dilma Rousseff deve ser tomada pela Executiva Nacional, e não em reunião da bancada”, disse Rollemberg, ao 247. “O momento atual exige trabalho em busca de saídas para a crise fiscal que atinge a todos”.

Além de Rollemberg, o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, também discordou do posicionamento da legenda. “Lutei muito para ver este país num estado democrático de direito e não embarco em qualquer aventura”, declarou o governador.


Leia mais:


 

Falta de quórum faz Renan encerrar sessão do Congresso para votar vetos


Justiça da Itália decide pela extradição de Henrique Pizzolato


Moro impõe a Duque e a Vaccari indenização de R$ 66,8 mi por corrupção


 

 

Deixe um comentário

Rolar para cima