Ricardo Ferrer fecha trilogia “A Saga de Júlia”

bsbcapitalPor ,14/06/2021 às 12:27, Atualizado em 14/06/2021 às 12:32

Chiado Editora lança, em Portugal e no Brasil, “A Herdeira – resgate de valores”. Os dois primeiros foram “O Casarão Verde – Paixão sem Limites” e “O Dossiê de Umbrícola – A Organização

Após o grande sucesso do lançamento experimental em Brasília do primeiro livro da trilogia “A Saga de Júlia”, intitulado “O Casarão Verde – paixão sem limites”, foi adquirido pela Chiado Editora, de Portugal, que o lançou naquele país, com extensão a outros países, incluindo o Brasil. A obra pode ser adquirida pelos sites da editora:

Chiado Books (PT): https://www.chiadobooks.com/livraria/o-casarao-verde-paixao-sem-limites

Livraria Atlântico (BR): https://www.livrariaatlantico.com.br/pd-86ccb5-o-casarao-verde-paixao-sem-limites-ricardo-ferrer.html?ct=&p=1&s=1

Os demais livros da trilogia “O Dossiê de Umbrícola – a organização”, e “A Herdeira – resgate de valores”, serão lançados em época oportuna. No entanto, a edição brasileira dos mesmos pode ser adquirida com o autor, pelo e-mail: ricardotoffer@gmail.com ou pelo celular (55) (61) 9 9987-3777

Sinopses

O Casarão Verde – paixão sem limites

Ao longo dos noventa anos em que a história se desenrola, costumes, cultura, política e fatos ligados aos personagens constituem o cerne do romance, de modo cru e objetivo. Sentimentos os mais diversos são uma constante, fazendo aflorar emoções fortes no leitor, que é envolvido pelo clima de suspense que perpassa toda a narrativa.

Os anos dourados aqui representados pela década de 1960 na pequena Itajubá, no sul de Minas Gerais, traz os romances próprios da época regados pelos costumes e músicas que levaram os jovens ao experimento de uma liberdade que mudou seu comportamento.

No entanto, o clima romântico levado por uma paixão sem limites muda radicalmente a história, levando a ações policiais de alto significado. Uma organização criminosa, uma fuga espetacular, uma busca frenética ao redor do mundo, suspenses intensos, um final surpreendente, de prender o fôlego do leitor.

O livro foi enriquecido com fatos ligados à música clássica, aos grandes compositores, aos ícones das canções populares da década de 1960, às mudanças comportamentais da juventude, a Segunda Guerra Mundial.

Faz incursões também pela trajetória política no Brasil, a partir de determinada época, sugerindo influências que contrariam as verdades atuais. E muito mais, pois se pode dizer que há várias histórias dentro da história.

O Dossiê de Umbrícola – A Organização

Uma história envolvendo o segredo de uma organização que se sobrepõe no tempo e no espaço, movendo-se nas sombras e se perpetuando. Caminhos diversos são percorridos, onde o lúdico, os mistérios e a luta se entremeiam.

Com emoções fortes, cheias de surpresas, a história é narrada numa linguagem clara e transparente. A conquista, os encontros e a magia dos esconderijos para guardar informações precisas percorrem trilhas, driblando quem atravessa seu caminho.

O final é surpreendente, pelas relações estabelecidas com fatos históricos reais de povos e de nações que anseiam por verdades e pelas ligações que projetam a vida para o imprevisível.

A Herdeira – Resgate de Valores

Este romance encerra com detalhes a narrativa de uma história intrigante, cheia de encantamentos, mistérios e suspenses, no formato de uma trilogia. A busca pela verdade e a superação de traumas se encerram na paz e na tranquilidade do vir a ser, que exala, em cada palavra, numa contextualização de aprendizagens intensas e consistentes com a perspectiva do acerto.

É a busca frenética e desesperada do encontro do próprio eu, dentro de uma trama maliciosa e pertinente, rica em pormenores, que desencadeia a luta e a persistência pela conquista de uma possibilidade de ser feliz um dia, com o maior ideal de viver plenamente.

Não há limites para esta superação. É o amadurecimento por meio dos fatos que sustenta e gera atitudes fortes na conquista da vitória, na luta por bem viver e na consciência da realização.

Marca, com estilo e muita garra, uma fase da literatura, em que se poderia dar o nome de “romance atual”, em que o dia de hoje é fortemente conceituado na linha de tempo, com características da atualidade, em uma análise de relação de fatos e gentes que transitam, num vai e vem, e deixa um rastro na história de cada um que lê o romance.

Deixe um comentário

Rolar para cima