Rede pública de ensino recebe 200 livros sobre a história da capital

bsbcapitalPor ,16/06/2015 às 9:06, Atualizado em 16/06/2015 às 9:06

Exemplares fazem parte da exposição Brasília, 55 anos, que esteve em sete países antes de chegar ao Brasil   Duzentos livros que contam a história brasiliense foram doados à rede pública de ensino. Os exemplares integram a exposição Brasília 55 anos, da utopia à capital. A mostra percorreu sete países — Alemanha, Argentina, Chile, Espanha, França, Índia e …

Rede pública de ensino recebe 200 livros sobre a história da capital Leia mais »

73b2984e7e9459bd6fd13b9980921db5_MExemplares fazem parte da exposição Brasília, 55 anos, que esteve em sete países antes de chegar ao Brasil
 

Duzentos livros que contam a história brasiliense foram doados à rede pública de ensino. Os exemplares integram a exposição Brasília 55 anos, da utopia à capital. A mostra percorreu sete países — Alemanha, Argentina, Chile, Espanha, França, Índia e Portugal — e, há cerca de dois meses, estava na Galeria Athos Bulcão, no Anexo do Teatro Nacional, onde recebeu mais de 7 mil visitantes.

A exposição apresenta ao mundo as belezas de Brasília, além de fotos históricas e registros de veículos de comunicação que cobriram a inauguração da cidade e os seus primeiros anos. O governador Rodrigo Rollemberg e a esposa dele, Márcia Rollemberg, prestigiaram o encerramento do evento, na noite desta segunda-feira (15). “Essa exposição reúne fatos que ajudam a explicar o motivo de a capital ter sido reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade”, disse o chefe do Executivo local.

O governador ainda lembrou a importância dos 200 livros doados às escolas públicas pela patrocinadora da mostra, a Caixa Seguradora. “É uma alegria receber esses catálogos para que sejam usufruídos por nossos alunos, que, por meio da arte, vão conhecer e gostar cada vez mais da nossa cidade.”

A curadora da exposição, Danielle Athayde, ressaltou que o trabalho contribuiu para manter cada vez mais viva a memória brasiliense, além de fomentar a cultura. “Apoiar a cultura é uma ação de mais-valia, faz uma ponte com a cidadania e incentiva o bem coletivo”, afirmou.

O evento também contou com a participação dos secretários de Educação, Júlio Gregório, e de Cultura, Guilherme Reis.

Leia mais:


 

Despedida de Cícero, o garçom mais popular de Brasília, dura 12 dias


Audiência pública na Câmara debaterá possíveis mudanças na lei do silêncio


Deixe um comentário

Rolar para cima