PSDB é esquerda ou direita?

gabrielpontesPor ,23/10/2021 às 9:11, Atualizado em 21/10/2021 às 18:26

PSDB deixou de capitanear a polarização com o PT no Brasil e agora, na centro-direita, procura eleitores contrários a Lula e Bolsonaro

psdb esquerda ou direita
Partido de Dória e FHC procura um disurso entre a esquerda e a direita para não repetir o pífio desempenho de 2018. Foto: Reprodução

Partido de Fernando Henrique Cardoso, José Serra, Aécio Neves, Geraldo Alckmin, João Dória, Arthur Virgílio e Eduardo Leite. À frente do estado mais poderoso do país há 27 anos e com o histórico de ter governado o país por dois mandatos. Afinal, PSDB é de esquerda ou de direita?

Durante muito tempo a polarização no país foi PT entre PSDB. Logo, o Partido dos Trabalhadores à esquerda e os tucanos à direita. Esta rivalidade política é tida como o berço da atual polarização no país, quando a disputa entre Dilma Rousseff e Aécio Neves, em 2014, foi parar na Justiça. À época os tucanos não aceitaram o resultado e pediram auditoria das urnas eletrônicas – não encontrando qualquer fraude.

Centro-direita

Como resultado desta polarização, surge Jair Bolsonaro e seu discurso de extrema-direta. A pauta bolsonarista sequestrou antigas bandeiras tucanas, como o liberalismo econômico e as privatizações. Unidos às máximas cristãs e conservadoras, os eleitores de Bolsonaro se autoproclamaram o primeiro governo de direita do país – esquecendo os anos de FHC e PSDB no Palácio do Planalto.

A chegada de uma “nova direta” no Brasil jogou o PSDB para escanteio. Em 2018, os tucanos tiveram o pior desempenho em eleições presidenciais de sua história. Geraldo Alckmin teve apenas 5% dos votos e foi quarto colocado – atrás de Ciro Gomes, Haddad e Bolsonaro. Alckmin teve desempenho pífio até mesmo em São Paulo, estado que governou por quatro vezes.

PSDB nas eleições 2022

Para as eleições de 2022, o PSDB procura um discurso alinhado à centro-direita, mas alheio à polarização Lula-Bolsonaro. A pauta econômica deve reger a proposta de governo para o país, mas os tucanos ainda patinam para encontrar um eleitorado fiel.

No limbo da polarização, do qual um dia já fez parte, o PSDB tenta ocupar a direita anti-bolsonarista e dividir a esquerda anti-Lula com Ciro Gomes. As pesquisas não são animadoras. As eleições também devem apresentar dificuldades maiores do que em 2018, quando integrou a coligação com maior tempo de TV.

Mas o partido, que se mantém na centro-direita, busca forças em sua história para retomar o crescimento da tradicional legenda.

Leia mais no Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima