Professores fazem nova assembleia em 27 de abril

BSB Capital25/04/2022 às 9:00, Atualizado em 26/04/2022 às 16:27

Haverá paralisação nas escolas. Categoria se reúne a partir das 9h no estacionamento da Funarte

Foto: Divulgação

Sinpro-DF

Na próxima quarta-feira (27), os professores do seu filho irão se reunir em nova assembleia. A nossa luta é por melhores condições de trabalho. A categoria vai se reunir às 9h, no estacionamento da Funarte, e paralisará suas atividades.

Esta terceira Assembleia Geral do ano acontece depois de um mês intenso de visitas às escolas. A diretoria do sindicato percorreu todas as regionais de ensino debatendo com a categoria os itens da pauta de reivindicações.

Para além da recomposição salarial, a pauta apresentada ao governo também contempla a segurança sanitária no ambiente escolar. As turmas estão superlotadas, sem observação ao distanciamento mínimo em tempos de pandemia.

A política geral do governo do Distrito Federal com relação à educação é de desprezo: projetos privatistas do ensino, que tiram dinheiro da educação pública, são incentivados.

Sinpro estima uma demanda por mais de 5 mil vagas para professores, e o único concurso previsto este ano deve preencher pouco mais de 700 vagas.

O novo ensino médio, da forma como está proposto pelo governo, acaba por condenar o aluno pobre egresso da escola pública a um ensino de qualidade inferior, inviabilizando seu acesso à universidade.

Igual destino recebem a Educação de Jovens Adultos (EJA) e todas as políticas de educação inclusiva: rumam para o desmonte completo.

A militarização das escolas é outra política que, ao fim e ao cabo, mais estimula que combate a violência e a evasão escolar. Também lutamos contra essa política distrital.

Ainda que a qualidade da educação seja prioridade e luta para o Sinpro, o acumulado de perdas salariais da categoria já está na ordem de 49% do valor de compra do salário.

Para se ter uma ideia, um professor recebe R$ 394,50 de auxílio alimentação há oito anos. Em comparação, o custo da cesta básica em maio daquele ano era de R$ 331,19, segundo do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Agora, os mesmos alimentos são comprados por R$ 670,98: um aumento de 102,5%.

Foto: Divulgação

É por todos esses motivos que os professores do seu filho param na quarta-feira, dia 27 de abril!

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima