Professores ampliam estratégia de luta

BSB Capital 01/06/2022 às 16:48, Atualizado em 02/06/2022 às 14:02

Assembleia da categoria decide acionar MP para denunciar condições inadequadas que a educação pública enfrenta no DF

Foto: Sinpro/DF

Sinpro-DF

A assembleia geral dos professores, realizada nesta quarta-feira (1º) apontou para o fortalecimento do processo de negociação. Para intensificar a pressão da categoria junto ao governo, algumas estratégias foram definidas. Embora o GDF esteja dando sequência à negociação, as principais reivindicações da categoria ainda não foram atendidas. Portanto, a mobilização continua muito necessária!

O Sinpro deve acionar o Ministério Público do DF (MPDFT) para denunciar as condições inadequadas que a educação pública vem enfrentado: quantidade excessiva de professores (as) temporários (as); vagas insuficientes para orientadores (as) educacionais no concurso público previsto para o Magistério; superlotação de salas de aula; ausência de política verdadeiramente inclusiva para estudantes com deficiência; e número reduzido de monitores (as).

É fundamental aumentar a oferta de vagas no próximo concurso público. Vale lembrar que a ação coletiva movida pelo Sinpro, assim como as provocações feitas ao MPDFT, foram muito importantes para garantir que o GDF saísse da ilegalidade e pagasse a sexta parcela do reajuste implementado a partir de 2013.

Outra tática importante, encaminhada pelo Sinpro, está em andamento: foi enviado à Câmara Legislativa (CLDF) um projeto de lei que prevê, para a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) para 2023, mais de R$ 166 milhões para os servidores e servidoras da Carreira Magistério Público do DF.

A assembleia também decidiu que categoria iniciará a campanha Fora Ibaneis e todos os inimigos da educação – o que inclui Bolsonaro e sua equipe de destruição. Com essa campanha, vamos dialogar com a sociedade sobre o sucateamento da educação e dos demais serviços públicos.

Congresso da Educação

Para fortalecer a mobilização em torno a todas essas pautas, o 12º Congresso da Educação será uma ferramenta de elaboração, debate, mobilização e definição de estratégias de luta. A data definida pela assembleia para o congresso é de 7 a 9 de julho.

Nova assembleia poderá ser convocada pela diretoria do Sinpro a qualquer momento, caso seja necessário, diante das estratégias abertas. Os debates nas escolas devem continuar e se intensificar, e a construção do Congresso contribuirá muito para isso.

Caminho para as conquistas

Desde o início de 2022, foi a pressão da categoria que determinou as conquistas que se consolidaram. A mesa de negociação com o GDF foi restabelecida por conta da mobilização de professores na assembleia que abriu o ano, em fevereiro, reunindo mais de 8 mil educadores.

Calendário de Lutas

– Formalização de denúncia junto ao MPDFT quanto às condições da rede pública de ensino do DF.

– Acompanhamento da tramitação e votação da LDO na Câmara Legislativa.

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima