Polícia prende quadrilha de europeus que vendia produtos falsos no DF

bsbcapitalPor ,26/02/2016 às 12:34, Atualizado em 09/07/2016 às 3:40

Uma organização criminosa formada por estelionatários europeus foi alvo de uma operação da Polícia Civil na manhã desta sexta-feira (26/2). Doze mandados de prisão temporária e seis de busca e apreensão são cumpridos por agentes da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (Corf). Eles vendiam mercadorias falsificadas como se fossem …

Polícia prende quadrilha de europeus que vendia produtos falsos no DF Leia mais »

Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles
Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

Uma organização criminosa formada por estelionatários europeus foi alvo de uma operação da Polícia Civil na manhã desta sexta-feira (26/2). Doze mandados de prisão temporária e seis de busca e apreensão são cumpridos por agentes da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (Corf). Eles vendiam mercadorias falsificadas como se fossem originais.

Oito pessoas foram detidas em Águas Claras, a cidade escolhida pela maioria do grupo para fixar residência. De acordo com a Polícia Civil, o grupo aplicava golpes não só no DF, mas em todo o Brasil. Os integrantes sempre estavam bem vestidos e com carros importados como BMW e Mercedes.

Eles costumavam abordar as vítimas em locais que circulam pessoas de alto poder aquisitivo, como shoppings, porta de escolas, tribunais de Justiça e até mesmo na vizinhança do Palácio do Buriti.

O delegado também ressaltou a importância de as vítimas registrarem ocorrência. “Muitas vezes, a pessoa compra o produto e fica com vergonha ao descobrir que é falsificado. Ao registrar a ocorrência, garantimos que eles fiquem mais tempo detidos”, explicou. Lisboa estima que 20% dos alvos da quadrilha deixaram de se apresentar à delegacia.


Acidentes com morte de ciclistas aumentaram 50% em 2015


MP pede prisão imediata do ex-vice-governador Benedito Domingos


Justiça do DF condena Roriz e Arruda por envolvimento na operação Caixa de Pandora


 

Deixe um comentário

Rolar para cima