PM de Brasília faz Operação Lesminha

bsbcapitalPor ,10/12/2015 às 12:59, Atualizado em 10/12/2015 às 12:59

Soldados e praças responsáveis pelo policiamento ostensivo no Distrito Federal estão retomando a Operação Tartaruga, rebatizada por eles de “Lesminha”, que reduz o número de policiais nas ruas. A medida prejudica a segurança da população em pleno mês de dezembro, quando um maior número de pessoas vai às compras de final de ano. Mesmo sem …

PM de Brasília faz Operação Lesminha Leia mais »

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Soldados e praças responsáveis pelo policiamento ostensivo no Distrito Federal estão retomando a Operação Tartaruga, rebatizada por eles de “Lesminha”, que reduz o número de policiais nas ruas. A medida prejudica a segurança da população em pleno mês de dezembro, quando um maior número de pessoas vai às compras de final de ano.

Mesmo sem um comunicado oficial ao comando da Corporação e ao Governo de Brasília, os PMs protestam contra o corte no plano de Saúde, a contenção de promoções na carreira, o uso equipamentos de segurança vencidos, viaturas sem condição de trabalho e o desrespeito às escalas durante as festas deste período.

A reportagem do Brasília Capital entrou em contato com alguns PMs e confirmou  a troca de mensagens enviadas pelo WhatsApp orientando os colegas a “tirar o pé do acelerador” para forçar os superiores a atender suas reivindicações.

Um soldado, que pediu para se identificar temendo represálias, informou que, com o corte no plano de saúde, os policiais só podem ser atendidos em algumas unidades, entre elas o Hospital Santa Helena. No Santa Marta o  serviço foi suspenso por falta de pagamento pelo GDF.

O servidor também afirmou que, em alguns batalhões, os PM’s são obrigados a pagar a manutenção  de várias viaturas, que estão sem condições de trabalho. Os coletes balísticos também estão  com o prazo de validade vencido. “O meu colete venceu em setembro. Porém, comparado com outros colegas, ainda é um dos mais novos”, disse.

 

Interstício

Outra reivindicação é o chamado interstício – militares com o tempo mínimo de permanência no posto e que já podem ser promovidos – porém, por falta de verba, não receberão o benefício. Com isso, a tradicional promoção que ocorre todo ano em dezembro não vai acontecer.

O Policiamento Intensivo de Natal – PIN –, em virtude da falta de efetivo e o excesso de escalas, fará com que os PM’s a trabalhem mais seis horas, totalizando cerca de 54 horas na semana.

“O discurso que o governo utiliza para não atender as demandas da Polícia Militar é pautado na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o que é um erro, já que o dinheiro destinado à PM é proveniente do Fundo Constitucional”, esclareceu outro policial ligado à associação que representa a categoria.

 

Resposta

A Assessoria de Comunicação da Polícia Militar afirmou não haver Operação Tartaruga. Mas admite que as demandas existem.  Entretanto, é grande a circulação de imagens nas redes sociais pedindo apoio dos policiais militares à mobilização.

 


 Comandante da PM pede para deixar cargo, mas Rollemberg não aceita


Eleição na Cabe mobiliza PMDF


Policia Militar fecha autopeças que funcionava como desmanche de carros


 

 

Deixe um comentário

Rolar para cima