PF apura corrupção na concessão de lotes de programa habitacional do DF

bsbcapitalPor ,02/06/2016 às 9:15, Atualizado em 09/07/2016 às 3:39

A Polícia Federal cumpre nesta quinta-feira (2) três conduções coercitivas e 14 mandados de busca e apreensão em operação que investiga crimes na concessão de lotes do Programa Habitacional Riacho Fundo II – 4ª Etapa. A suspeita é de que servidores públicos, membros de associações e empresários da construção civil interferissem nos processos e cobrassem …

PF apura corrupção na concessão de lotes de programa habitacional do DF Leia mais »

21-0
Projetos habitacionais (Riacho Fundo II 4ª Etapa)

A Polícia Federal cumpre nesta quinta-feira (2) três conduções coercitivas e 14 mandados de busca e apreensão em operação que investiga crimes na concessão de lotes do Programa Habitacional Riacho Fundo II – 4ª Etapa. A suspeita é de que servidores públicos, membros de associações e empresários da construção civil interferissem nos processos e cobrassem taxas extras.

De acordo com a PF, as condutas podem configurar, em tese, a prática dos crimes de corrupção passiva, advocacia administrativa e lavagem de dinheiro. Os trabalhos de investigação feitos pela corporação em conjunto com a Controladoria-Geral da União apontam indícios da existência de grupo criminoso.

O programa é uma parceria entre a União, DF e sociedade civil organizada, destinado à concessão de lotes a famílias necessitadas. Ele que um terreno do governo federal, com área total de 1.330.460 m², seja dividido e cedido gratuitamente a famílias carentes. Elas deveriam ser selecionadas, segundo critérios objetivos, por associações sem fins lucrativos e posteriormente habilitados pela Secretaria de Habitação.

A PF afirmou que as suspeitas recaem sobre integrantes dessas associações, responsáveis pela seleção das famílias que receberiam os terrenos, que estariam manipulando a escolha dos beneficiários, cobrando valores e condicionando o recebimento de terreno à contratação de determinadas construtoras ligadas ao grupo para a realização das obras. Segundo a corporação, o ato aparentemente ocorria com conivência de gestores públicos.

 


Rodoviários fazem paralisação relâmpago, pelo terceiro dia consecutivo


Detran fecha Samdu e Comercial em Taguatinga para implantar mão única


O mês mais animado do ano chegou e com ele, as programações das festas juninas


 

Deixe um comentário

Rolar para cima