Pescadores de águas turvas

bsbcapitalPor ,01/05/2015 às 19:24, Atualizado em 26/02/2018 às 18:08

.

Miguel Setembrino Emery de Carvalho (*)

 

Enfim, apresentou-se ao distinto público, depois de idas e vindas intermináveis, o balanço “oficialmente auditado” da Petrobras, que apesar dos números escandalosos, da confissão inédita (e vergonhosa) de corrupção, impressa com todas as letras, deixa em todos nós a estranha sensação de que a montanha pariu um rato.

Considerado peça fundamental na retomada econômica brasileira, capaz de restaurar a credibilidade no país e trazer de volta os investimentos, o balanço em questão mais assusta que acalma, vez que, no caso em questão, as entrelinhas ganharam incômoda proeminência e protagonismo.

Está tudo lá. A confissão dos desmandos políticos que geraram a incúria e a degeneração administrativa, culminando em corrupção desenfreada e gestão temerária, capaz de torrar bilhões de dólares em delírios grandiloquentes do socialismo companheiro, que almejava construir um modelo de governança apoiado no dirigismo e centralismo estatal. Deu no que deu.

A bonança do pré-sal, ovo na cloaca da galinha, panaceia para todos os males que acometiam o Brasil, revelou-se falso bilhete premiado, haja vista que para usufruí-lo exigia-se trabalho e investimentos acima da capacidade financeira e técnica da empresa.

Exigia-se realismo e transparência, seriedade e competência, enfim, predicados totalmente fora do alcance dos comissários e cúmplices do desmanche da outrora joia da coroa.

Agora, todos sabemos a forma dura e implacável como esse festim macabro e imoral impactou na vida da nação. Não há franja no tecido social e econômico brasileiro que não tenha sido esgarçada pelas garras implacáveis da corrupção desenfreada.

Todos os segmentos produtivos foram contaminados. O país vive a retomada da inflação, da estagnação econômica, da perda e precarização de postos de trabalho, da desmoralização ainda maior (se isso é possível), da classe política.

Enfim, do operário ao industrial, do agricultor ao supermercadista, todos os brasileiros estão sendo duramente penalizados pelas escolhas criminosas, em todos os campos da atividade nacional, dessa elite dirigente irresponsável e incompetente.

Estamos todos como pescadores de águas turvas, jogando linha, isca e anzol, buscando desesperadamente o peixe, mas sem saber se nesse lago ainda existe o cardume, ou se há muito as piranhas o dizimaram.

(*) Advogado e vice-presidente da Fecomércio/DF

Deixe um comentário

Rolar para cima