Osho – O Mestre do Século XX

mmPor ,13/12/2015 às 9:40, Atualizado em 13/12/2015 às 9:40

O século passado teve Mestres do quilate de Chico Xavier, Krishnamurti, Dalai Lama, Gurdieff e Ouspensky, mas nenhum encantou os rebeldes buscadores de espiritualidade como Osho. Ele fascinava aqueles que não aceitam o Deus das religiões – Buda do Budismo, Maomé do Islã e nem Cristo do cristianismo como as religiões os apresentam. Mesclando ensinamentos …

Osho – O Mestre do Século XX Leia mais »

O século passado teve Mestres do quilate de Chico Xavier, Krishnamurti, Dalai Lama, Gurdieff e Ouspensky, mas nenhum encantou os rebeldes buscadores de espiritualidade como Osho. Ele fascinava aqueles que não aceitam o Deus das religiões – Buda do Budismo, Maomé do Islã e nem Cristo do cristianismo como as religiões os apresentam. Mesclando ensinamentos religiosos de uma forma lógica e poética com psicologia, história e meditação, Osho continua encantando grande número de buscadores da verdade. Formado em filosofia e iluminando-se aos 21 anos de idade, ele desafiava qualquer sábio ou erudito para debates.

Como era reconhecidamente genial, foi convidado, após o curso de filosofia, para ministrar aulas na universidade que logo abandonou, preferindo fundar um Ashram para suas conferências e terapias. A sequência de publicação dos seus livros, resultados de suas conferências, satisfaz a qualquer mente lógica que tenha sede do Divino. Livros como Vá com Calma, A Sabedoria das Areias, A Semente de Mostarda V. 1 e 2 e Asas e Raízes empolgam qualquer espiritualista iniciante.

De Moisés a Freud, de Sócrates a Goethe, de Cristo a Buda, de Jung a William James, do Zen Budismo a Yôga e Sufismo, Osho demonstra a capacidade fantástica de um cérebro privilegiado e raro. Seu objetivo era levar os alunos à iluminação (fenômeno de integração do ser com Deus). Para isso, ministrava ensinamentos, técnicas de meditação e terapias.

Osho era um Mestre integral e ultramoderno. Seus livros continuarão por muito tempo iluminando as consciências.

 


O amigo desprezado


Família – a função de cada um


Terrorismo – grito de socorro

 


 

Deixe um comentário

Rolar para cima