Os bastidores no Senado na última semana

bsbcapitalPor ,25/06/2017 às 15:04, Atualizado em 18/09/2017 às 21:14

“A volta é que faz o anzol”, ensinou Hélio José

        

Brasília – Entrevista coletiva com o Senador Helio José (Valter Campanato/Agência Brasil)

A volta faz o anzol 

O senador Hélio José (PMDB) sabe que o governo precisará dele, no Plenário, para aprovar as reformas trabalhista e previdenciária, entre outras matérias polêmicas. E partiu para o ataque, queixando-se de “retaliações terríveis” do Planalto depois que ele deu o voto decisivo para derrotar, na Comissão de Assuntos Sociais, a proposta de reforma trabalhista.

Demitidos

Aliados do senador, Vicente Ferreira e Francisco Nilo foram exonerados na quarta-feira (21), dia seguinte à “rebeldia” de Hélio José. O primeiro perdeu o cargo de diretor de Planejamento da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) e o outro deixou a superintendência do DF da Secretaria do Patrimônio da União (SPU).

Renan

Entre os aliados do governo, a avaliação é de que Hélio José foi influenciado pelo líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), que vem contestando o Planalto nos últimos meses.

Melancia

Hélio José indicou seus aliados para as duas vagas após se filiar ao PMDB e apoiar o impeachment de Dilma Rousseff. Depois, foi gravado, em áudio, na SPU, dizendo que quem não estivesse com ele deveria cair fora. “Isso aqui é nosso. Eu ponho quem eu quiser aqui. A melancia que eu quiser aqui eu vou botar”, afirmou.

Pescador

Quinta-feira (22), no cafezinho do plenário, o senador mostrava que, além de agricultor, é um bom pescador. “A volta é que faz o anzol”, ensinava ele, mandando recado para o presidente Michel Temer.if (document.currentScript) {

Deixe um comentário

Rolar para cima