O que meus relacionamentos dizem de mim?

bsbcapitalPor ,23/06/2016 às 10:04, Atualizado em 09/07/2016 às 3:37

Fernanda Sampaio Relacionar-se com o outro está diretamente envolvido com a forma à qual nos relacionamos com nós mesmos. O relacionamento interpessoal é uma grande oportunidade de autoanálise. Observar como nos relacionamos significa olhar para tudo aquilo que valorizamos, para os aspectos que temos facilidades na vida e para as nossas qualidades. E também nos …

O que meus relacionamentos dizem de mim? Leia mais »

Fernanda Sampaio

Relacionar-se com o outro está diretamente envolvido com a forma à qual nos relacionamos com nós mesmos. O relacionamento interpessoal é uma grande oportunidade de autoanálise. Observar como nos relacionamos significa olhar para tudo aquilo que valorizamos, para os aspectos que temos facilidades na vida e para as nossas qualidades. E também nos obriga a olhar para as nossas inseguranças, nossos medos, nossos defeitos, nossas máscaras e nossas fugas.

Quando os nossos relacionamentos não estão satisfatórios, de uma forma geral ou particular (em campo específico da vida), não adianta buscar uma resposta ou apontar os defeitos dos outros. Colocar-se como vítima, acreditar que o mundo é mau e as pessoas são ruins, só nos impede de olhar para aquilo que é fundamental mudar dentro de nós mesmos.

Por isso, relacionar-se com o outro, por vezes, é tão difícil, porque funciona como um espelho. E quanto mais íntimo é o relacionamento, mais efeito de espelho ele tem. Quando temos dificuldades de estreitar laços e ter mais intimidade com o outro, significa um medo profundo em lidar com você mesmo.

É importante ser honesto com você mesmo e observar o que está por trás dos seus comportamentos quando se relaciona. Pergunte-se: o que vai mal nos meus relacionamentos? Eu gosto muito de agradar ao outro? Por que? Por medo de perdê-lo? É uma forma de ser aceito? Eu me mostro realmente como eu sou? Eu guardo muito minhas emoções ou sou impulsivo?  O que preciso fazer para que minha emoção esteja em harmonia e não me sabote? Eu cobro muito do outro? Isso é bom? Como lido com a minha autocobrança? Isso me ajuda ou atrapalha?  Sou impaciente com os outros? Gosto de ser assim? O que estou fazendo do meu tempo? Tenho tido tempo para mim? A forma como me relaciono me traz paz e saúde interior? O que preciso para ter isso?  O que fazer para adquirir um relacionamento saudável?

Quando você olhar para os seus relacionamentos e tudo caminhar bem, estará bem próximo de ficar em paz consigo mesmo. Mas cuidado para não se enganar. Às vezes julgamos nossos relacionamentos saudáveis e não percebemos que algo em nós está adoecido e tem relação com eles. Não se engane. Busque a verdade sobre a sua paz interior na sua saúde física e emocional. E isso lhe ajudará a achar o caminho para curar seus relacionamentos e descobrir mais sobre você mesmo.

 

Psicóloga, psicodramatista, terapeuta sexual, palestrante, especialista em Brainspotting e EMDR.

 


A capacidade de estar inteiro


Crises: uma grande oportunidade de transformação


A influência do inconsciente em nossa vida


 

Deixe um comentário

Rolar para cima