O legado de caos de Rollemberg

Dr. Carlos FernandoPor ,10/08/2018 às 16:35, Atualizado em 10/08/2018 às 16:35

Hoje o Distrito Federal possui uma média de 320 mil desempregados

O próximo governador do Distrito Federal terá de lidar com um legado nada animador: o DF vive, hoje, uma crise administrativa, financeira e política. Basta conversar com a população do DF para ter uma ideia. Nunca houve, antes, um grau de insatisfação tão grande com a gestão do Buriti. No que diz respeito à Saúde, por exemplo, na última semana, a “remodelação” da Atenção Primária foi, novamente, criticada por aqueles que mais necessitam: os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS-DF). Para a maioria deles, a “estratégia” (sem rumo), apenas agravou os problemas no atendimento.
Lembro-me que, lá no início, as alterações no modelo da Atenção Primária foram questionadas pelo SindMédico-DF. Em fevereiro do ano passado, o presidente licenciado da instituição, Dr. Marcos Gutemberg Fialho da Costa, afirmava: “O projeto precisa ser discutido. E, no entanto, foi colocado de forma imposta, precipitada e sem levar em consideração as necessidades e peculiaridades da Atenção Primária”. Ou seja, trata-se de outra tragédia anunciada. Uma bagunça que o próximo governador terá de arrumar. E, isso, sem contar com a terceirização do Hospital de Base: outro projeto tão sem rumo quanto Rollemberg e sua equipe.
No campo econômico, o cenário também não é nada positivo. Hoje o Distrito Federal possui uma média de 320 mil desempregados. Número que equivale a 19,5% da população economicamente ativa. Os dados são da própria Secretaria de Trabalho. Mas isso é apenas parte do problema. Até hoje, as 32 categorias de servidores do DF aguardam a terceira parcela do reajuste salarial aprovado em 2013: mais um problema que terá de ser sanado pelo governo seguinte.
E o Iprev? Primeiro, o GDF saqueou nada menos do que R$ 1,7 bilhão do instituto. Depois, no ano passado, insistiu na aprovação, feita às pressas, de uma nebulosa reforma previdenciária local, que unificou os fundos do Iprev. E, agora, o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP) está na corda bamba, o que coloca em risco para o DF, entre outras coisas, contratos, empréstimos e convênios. Mais um legado de Rollemberg para dar muita dor de cabeça ao próximo governador que, tenho fé no bom senso, não há de ser o mesmo que hoje leva o DF às ruínas.
O atual governador tenta a reeleição. E anda dizendo por aí até que “tem transformado a vida das pessoas”. Concordo. Acho que, talvez, essa seja a única frase incontestável de suas propagandas. De fato, houve uma ampla transformação na vida da população nos últimos quase quatro anos. Só que para pior. Chega logo outubro.

Deixe um comentário

Rolar para cima