Não viva sem sentido

mmPor ,28/07/2018 às 19:04, Atualizado em 27/07/2018 às 16:12

Sem a crença no sentido transcendental da vida, de uma programação existencial, como ensinam os grandes mestres, tudo pode ser banalizado

Qual é o grande problema que a humanidade está enfrentando nos dias de hoje? Talvez o maior problema seja o vazio existencial, porque tudo decorre daí. A educação dos pais, as escolas e as instituições não estão preenchendo esse vazio.

Temos uma multidão de intelectuais bem preparados, mas extremamente frágeis intimamente. Em decorrência dessa fragilidade, temos três consequências gravíssimas que a sociedade está enfrentando: Suicídio, corrupção, violência, drogadização e assassinatos.

Sem a crença no sentido transcendental da vida, de uma programação existencial, como ensinam os grandes mestres, tudo pode ser banalizado.

Contudo, o enfoque transcendental precisa mudar. As novas gerações necessitam de uma abordagem lógica, afirmativa, positiva. Não aceitam mais a velha pregação do pecado, do demônio e do inferno. É preciso ensinar que viemos à Terra em missão, para fazer nosso aprendizado e dar a nossa colaboração.

O ensinamento aborígene sobre o sentido da vida é mais que atual: “Somos todos visitantes deste tempo, deste lugar. Estamos só de passagem. O nosso objetivo é crescer, amar… e depois voltar pra casa”.

Todos, com poucas exceções, somos alunos da vida e das primeiras séries. Identificar o que nos falta em matéria de qualidades é o primeiro passo para desenvolvê-las. Preste atenção nas pessoas que apareceram e aparecerão em sua vida. Então, pense nas qualidades ou defeitos graves dessas pessoas. As qualidades delas é lembrança para que você se trabalhe, e os defeitos, para eliminá-los em você.

Todos somos alunos e professores uns dos outros. “Alguns lhe odiarão pelo o que você é, e outros, pelos mesmos motivos, lhe amarão”, como bem lembrou Dalai Lama. Se afastar para não se prejudicar, e cultivar a presença para aprender, é sabedoria.

Michel Jackson perdeu a grande oportunidade da vida ao afastar-se do Rabino que estava lhe trazendo luz. Perdeu e perdeu-se. Siga com André Luis: “A cada um foi dado algo diferente para que haja intercâmbio e daí surja o amor”.

Deixe um comentário

Rolar para cima