Motorista embriagado que matou mãe e filha apela para liberdade provisória

BSB Capital 15/05/2014 às 8:23, Atualizado em 15/05/2014 às 8:23

A defesa do vendedor Rafael Yanovich Sadite, 33 anos, aguarda o julgamento do pedido de liberdade provisória entregue à Justiça na segunda-feira. Desde então, o caso é analisado pelo promotor Fernando de Paula, da 3ª Promotoria de Justiça de Taguatinga. Ele não quis adiantar qual será o parecer sobre o acaso, mas assegurou que devolve …

Motorista embriagado que matou mãe e filha apela para liberdade provisória Leia mais »

20140514220718760203oA defesa do vendedor Rafael Yanovich Sadite, 33 anos, aguarda o julgamento do pedido de liberdade provisória entregue à Justiça na segunda-feira. Desde então, o caso é analisado pelo promotor Fernando de Paula, da 3ª Promotoria de Justiça de Taguatinga. Ele não quis adiantar qual será o parecer sobre o acaso, mas assegurou que devolve hoje o processo para o juiz do Tribunal do Júri da cidade. Com o parecer do MP, o magistrado decidirá sobre o pedido de Sadite, preso desde domingo, após se envolver em um acidente em que matou mãe e filha em Águas Claras e deixou outras duas pessoas feridas. O teste do bafômetro apontou que ele estava alcoolizado.

Entre os argumentos do advogado de Sadite, Eric Pio Belo Coelho, estão o fato de que o cliente tem emprego, residência fixa e é réu primário. Ele solicitou à Justiça que Rafael Sadite responda ao processo em liberdade. Segundo Eric Belo, o vendedor está em uma cela comum e “bastante abalado” com tudo o que aconteceu, assim como a família dele. Para a defesa, Rafael teria dito que não estava embriagado. “Ele nos relatou que tinha tomado apenas uma taça de vinho”, disse o advogado.

Eric Bello espera o laudo do local de acidente que vai apontar todas as circunstâncias da tragédia. “O Rafael tem a parcela de culpa e ela vai ser apurada. Mas, independentemente disso, aquele local é uma tremenda irresponsabilidade e, até agora, não vimos nenhuma autoridade pedir desculpas às famílias ou vir a público anunciar mudanças”, cita Eric Pio Belo. “Estive no local e não há visibilidade. A sociedade estará exposta a mais acidentes se nada for feito”, completa.

Gabriel Faria de Oliveira, 31 anos, dirigia o Honda Fit pela DF-079, na altura da Quadra 5 do Park Way, quando passou pelo cruzamento que dá acesso à cidade. O veículo foi atingido pela Saveiro conduzida por Rafael Sadite. Com o impacto, Alessandra morreu na hora. Júlia Trino Oliveira, 1 ano e meio, foi levada para o Hospital de Base, mas não resistiu aos ferimentos. Gabriel teve duas costelas quebradas. Mãe e filha foram enterradas na segunda-feira, no Cemitério Campo da Esperança.

 

Deixe um comentário

Rolar para cima