Moradores de rua e usuários de drogas prejudicam o comércio

BSB Capital 28/06/2014 às 16:22, Atualizado em 28/06/2014 às 16:22

Embaixo das marquises dos prédios da Praça do DI é comum ver colchões, cobertores e travesseiros espalhados pelo chão. São os pertences dos moradores de rua e usuários que rondam o setor. Eles se sentem em “casa” e tão à vontade, que a equipe do Brasília Capital flagrou um grupo de mendigos promovendo um churrasco no meio …

Moradores de rua e usuários de drogas prejudicam o comércio Leia mais »

Imagem 187

Embaixo das marquises dos prédios da Praça do DI é comum ver colchões, cobertores e travesseiros espalhados pelo chão. São os pertences dos moradores de rua e usuários que rondam o setor. Eles se sentem em “casa” e tão à vontade, que a equipe do Brasília Capital flagrou um grupo de mendigos promovendo um churrasco no meio da Praça do DI, enquanto esperava o início do jogo entre Brasil e Camarões, na segunda (23). Quem acertasse a aposta do bolão levaria uma garrafa de “Pitchula” como prêmio.

Imagem 190

Um funcionário de uma barbearia conta que é comum a presença dos moradores de rua, e denuncia que traficantes de drogas se infiltram entre os mendigos para a polícia não identificá-los. “Eles afugentam os clientes e o comércio está cada dia mais vazio. Furtam as lojas e deixam todos assustados. Pior são os traficantes que fingem ser mendigos e vendem drogas em plena luz do dia”, alerta o funcionário, que, temendo represálias,  não quis se identificar.

O subtenente Lino, do 2º Batalhão da Polícia Militar de Taguatinga, garante que o policiamento no local e feito, mas explica que é difícil encontrar algo que incrimine o morador de rua quando ele é abordado. “Geralmente, quando a gente pega, eles já utilizaram a droga ou não estão mais portando o produto do furto. Os comerciantes denunciam, mas não querem testemunhar. Daí fica difícil enquadrá-los em algum crime”, justifica.

Deixe um comentário

Rolar para cima