Justiça manda GDF desocupar área de Parque Ecológico

BSB Capital 23/06/2022 às 9:27, Atualizado em 24/06/2022 às 9:54

Vara do Meio Ambiente aponta grilagem de terra na Região
Administrativa do Paranoá

Foto: Pedro Braga Netto/Acervo do Instituto Brasília Ambiental

Chico Sant’Anna

A Vara do Meio Ambiente determinou que o GDF e a Terracap coíbam a grilagem de terra e a ocupação irregular em área do Parque Ecológico da Cachoeirinha, na Região Administrativa do Paranoá. Além de sua importância ambiental, o local abriga um dos mais relevantes sítios arqueológicos já identificados no Distrito Federal. 

Na invasão, foram contabilizadas cerca de trinta edificações, algumas em lotes com área superior a 3 mil metros quadrados. A ocupação foi iniciada há cerca de quatro anos, mas vem se multiplicando rapidamente. 

Relatório do DF Legal atesta que o local “está totalmente piqueteado com várias perfurações no solo para receber novas estacas para cerca (em sua maioria demadeira retirada da floresta de pinus ali existentes)”.

Vista estupenda 

Além de trabalhar com documentação fria, a grilagem se aproveita da decisão do Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF, que considerou, em 2007, inconstitucional a lei n.º 614, de 2002, de autoria do então deputado Chico Floresta (PT), que instituía o Parque. 

O local propicia uma vista estupenda para o cânion do São Bartolomeu, fica no Núcleo Rural Desembargador Colombo Cerqueira, aos fundos da cidade do Paranoá e de frente para o Rio São Bartolomeu, logo após a Barragem. Leia a matéria completa no blog Brasília, por Chico Sant´Anna

Leia mais em Brasília Capital

Deixe um comentário

Rolar para cima