Jogador do Boavista é suspeito de participar de estupro coletivo no Rio

bsbcapitalPor ,27/05/2016 às 15:49, Atualizado em 09/07/2016 às 3:45

Lucas Perdomo, meia-atacante do Boavista, é suspeito de ter participação direta no estupro coletivo de uma menina de 16 anos em uma comunidade na Zona Oeste do Rio. A Polícia Civil pediu a prisão dele e de mais três suspeitos de participação no episódio, que ocorreu no último sábado e veio à tona na quinta-feira. …

Jogador do Boavista é suspeito de participar de estupro coletivo no Rio Leia mais »

Lucas-PerdomoBoavista

Lucas Perdomo, meia-atacante do Boavista, é suspeito de ter participação direta no estupro coletivo de uma menina de 16 anos em uma comunidade na Zona Oeste do Rio. A Polícia Civil pediu a prisão dele e de mais três suspeitos de participação no episódio, que ocorreu no último sábado e veio à tona na quinta-feira.

Franzino e canhoto, o meia, de 20 anos, é tido como promessa no clube de Saquarema. A habilidade de Lucas rendeu elogios do ex-jogador Clarence Seedorf em 2013, quando o holandês, encerrando sua passagem pelo Botafogo, fez um estágio de treinador no Boavista. Luquinhas, como é conhecido, atuou em quatro partidas do Campeonato Carioca deste ano — uma delas na derrota por 3 a 0 contra o Fluminense, na segunda fase.

Em depoimento à polícia, a jovem de 16 anos disse ter ido no último sábado à casa de Lucas, com quem mantinha relacionamento há três anos. Depois, ela se lembra apenas de acordar no dia seguinte em outra casa, na mesma comunidade, nua, amarrada e cercada por 33 homens.

A reportagem do GLOBO procurou dirigentes do Boavista, mas não teve resposta até a publicação desta reportagem. Ao “Globoesporte.com”, o gestor do clube, João Paulo Magalhães, disse estar “chocado” com o episódio e pediu que os culpados sejam punidos pelo crime. O Boavista treina para disputar a Série D do Brasileiro, que começa em 12 de junho.

 


‘Não dói o útero e sim a alma’, diz menina vítima de estupro coletivo


Uma mulher é violentada a cada 11 minutos no Brasil, segundo pesquisa


“Acordei com 33 caras em cima de mim”, diz adolescente vítima de estupro

 


 

 

Deixe um comentário

Rolar para cima