Há um amor que é seu

bsbcapitalPor ,21/06/2015 às 13:18, Atualizado em 21/06/2015 às 13:18

E por falar de amor, sem dor Há um amor que é diferente, que a gente encontra no canto da sala, jogado no sofá. Há um amor com quem a gente divide um colchão no chão na tarde de domingo, entre cochilos e programas de TV. Há um amor que a gente carrega na garupa …

Há um amor que é seu Leia mais »

E por falar de amor, sem dor

Há um amor que é diferente, que a gente encontra no canto da sala, jogado no sofá. Há um amor com quem a gente divide um colchão no chão na tarde de domingo, entre cochilos e programas de TV. Há um amor que a gente carrega na garupa da bicicleta, indo ali a duas esquinas, fazendo do percurso o melhor lugar para se estar. Há um amor que é no meio da tarde, num lanche de padaria, com café, pão, queijo e manteiga, e muita coisa para conversar.

Há um amor que divide os planos do dia a dia, que enquanto você adianta em um banco, ele vai para a fila do outro, guardar o seu lugar. Há um amor que reparte as contas e a correspondência, um amor que divide o teto, as louças na pia, o chão para limpar. Há o amor no fim da noite, que vira e remexe, tomando espaço, puxando todo o edredom, mas que vai te realizar amanhã num ‘bom dia’, um amor disposto a te ver acordar.

Há amores que sentam na praça, outros que preferem ficar em casa, os que assumem a balada, os da pizzaria e há o amor que sai para dançar. Há um amor que não escreve poemas, mas a quem você pode pedir, sem cerimônias, para quando falar ou para se silenciar. Há um amor dentro de casa, que você vê descabelado, que vai garantir que ouviu tudo o que você disse, mas vai acabar ligando do supermercado para perguntar.

Há um amor que é diferente, que a gente não vê nos filmes, nem nas novelas, mas que são os mais próximos que possam estar. Há um amor que a gente vive, que não se explica, que talvez a gente não sinta o tempo todo, mas que num momento ou outro do dia a gente vai acabar por se lembrar. Há um amor que é só seu, que nenhum verso define. Um amor que nem todo corpo já encontrou, mas que toda alma está disposta a esperar.

 


Leia Mais:


 

Estou aqui, amor


Eu liguei, não foi engano


Ainda não, mas há


Deixe um comentário

Rolar para cima