Grampo no Buriti

orlandopontesPor ,26/06/2015 às 22:42, Atualizado em 26/06/2015 às 22:42

Conversas de deputados com Rodrigo Rollemberg são gravadas dentro do gabinete do governador. Maioria quer instalar CPI   O governo de Rodrigo Rollemberg confirma a cada semana a Lei Murphy – nada está tão ruim que não possa piorar. Depois da turbulenta saída do ex-chefe da Casa Civil, Hélio Doyle, o GDF se enreda numa …

Grampo no Buriti Leia mais »

Conversas de deputados com Rodrigo Rollemberg são gravadas dentro do gabinete do governador. Maioria quer instalar CPI
 

O governo de Rodrigo Rollemberg confirma a cada semana a Lei Murphy – nada está tão ruim que não possa piorar. Depois da turbulenta saída do ex-chefe da Casa Civil, Hélio Doyle, o GDF se enreda numa crise ainda mais grave com a Câmara Legislativa.

Tornaram-se públicos na terça-feira (23) vários áudios gravados no dia 14 de maio durante uma reunião no gabinete do governador, no Palácio do Buriti. Estavam presentes onze deputados distritais, integrantes do primeiro escalão do Executivo e o próprio Rollemberg.

Camara-Legislativa-do-Distrito-Federal-realiza-reuniao-na-Rodoviaria-de-Brasilia-foto-Fabio-Rodrigues-Pozzebom-Agencia-Brasil_201502040006O vazamento, batizado no mesmo dia de “Buritileaks”, indignou os distritais. Num fato raro no Parlamento, há unanimidade na cobrança por uma investigação para descobrir quem fez a gravação. Na quinta-feira (25), nada menos que 22 dos 24 distritais assinaram requerimento para instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o escândalo. Apenas o líder do governo, Júlio César (PRB) e o deputado Agaciel Maia (PTN) se abstiveram.

Renato Andrade (PR) e a presidente da Casa, Celina Leão (PDT), subscreveram o requerimento, mas ambos defendem que, primeiro, é preciso dar tempo para que a Polícia Civil investigue. Celina, inclusive, divulgou na mesma quinta-feira um croqui mostrando a posição de cada uma das pessoas dentro do gabinete de Rollemberg naquele 14 de maio.

Desafeta de Hélio Doyle, Celina se recorda que o ex-chefe da Casa Civil estava sentado atrás dela, junto com o secretário-adjunto de Gestão Administrativa, Alexandre Ribeiro. Ao lado dela estavam as deputadas Telma Rufino (PPL), Luzia de Paula (PEN) e Sandra Faraj (SD).

“Não vou me antecipar”, disse Celina, mas “pelo barulho dos áudios, (o gravador) estava mais perto de mim, aposta ela, considerando que sua voz aparece com maior nitidez. Diante da suspeita velada, Doyle disse não se lembrar direito da cena, embora admita que “é por aí mesmo”.

Além das cobranças de Celina Leão a Rollemberg, também vazaram pelas redes sociais falas dos deputados Juarezão (PRTB), Dr. Michel (PP) e Sandra Faraj (SD). O temor no meio político é de que outras gravações surjam, inclusive feitas em momentos diferentes, e venham a corroborar com denúncia feita por Hélio Doyle – com a ressalva de que não tem provas – de que muitos deputados fazem exigências “não republicanas” para apoiar o governo.


Leia também:


Rollemberg vira Geni


GDF sairá da inércia?


Deixe um comentário

Rolar para cima