GDF contra a covid-19

bsbcapitalPor , Pollyanna Villarreal11/03/2021 às 11:15, Atualizado em 11/03/2021 às 11:00

Ibaneis endurece medidas para conter a pandemia

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília.

O governador Ibaneis Rocha faz, pessoalmente, todos os dias, o monitoramento da situação da pandemia no Distrito Federal. Segundo o secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, é por meio da análise de dados como taxa de transmissibilidade do novo coronavirus e de isolamento que o chefe do Executivo local define os próximos passos.

Com praticamente 100% dos leitos de UTI ocupados e uma taxa de transmissão de 1,28%, o governador decidiu decretar, novamente, medidas restritivas para diminuir o avanço da covid-19 no DF. Depois de anunciar novo lockdown, deixando abertos apenas serviços essenciais, também decretou toque de recolher até 22 de março.

As iniciativas caminham junto a outras ações do governo para aumentar a quantidade de leitos de UTI e ampliar a vacinação contra o novo coronavírus. Para evitar um colapso na economia, Ibaneis adota medidas que ajudam empresários e as pessoas que ficaram desempregadas.

As iniciativas levaram o DF a alcançar 326 leitos de UTI exclusivos para pacientes com covid na rede pública e nos contratados nos hospitais particulares. Segundo o secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Petrus Sanches, a expectativa é de que, em breve, mais 58 sejam abertos.

Além disso, três hospitais de campanha estão sendo licitados, o que permitirá a inclusão de mais 300 leitos para atendimento a pacientes com covid, sendo metade deles de enfermaria e a outra metade para UTI. O investimento é de R$ 36 milhões.

Os hospitais de campanha serão erguidos nas regiões Central, Oeste e Sul do DF, em endereços a serem definidos pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). A preferência do governo é que eles sejam instalados no Plano Piloto, Ceilândia e Gama.

Vacinação – O Distrito Federal está entre as unidades da Federação com maior índice de vacinação. Até quarta-feira (10), 294.560 doses tinham sido aplicadas e a Secretaria de Saúde havia recebido outras 27,8 mil doses, o que possibilitou o início da imunização de idosos a partir de 74 anos.

Segurança impõe regras rígidas

Tão importante quanto abrir mais leitos é conscientizar a população da necessidade de manter o distanciamento social, usar máscaras e respeitar as medidas previstas nos decretos. As festas clandestinas são o novo foco das ações de fiscalização da Secretaria de Segurança Pública.

O endurecimento no combate a esses eventos ocorre porque eles são um dos principais responsáveis pelo aumento do índice de contaminação do vírus da covid-19 do DF. Somente nos dois primeiros dias de fiscalização do toque de recolher, 11.386 comércios foram vistoriados, 311 estabelecimentos foram abordados e orientados, e 32 acabaram interditados.

Foram vistoriados 712 quiosques, sendo 69 abordados. Uma pessoa foi multada em R$ 2 mil por não usar máscara, e outra, por estar transitando fora do horário permitido, foi notificada multada em R$ 1 mil.

A Polícia Civil fez rondas em diferentes locais, por meio das delegacias de área. Os policiais abordaram 474 pessoas e 100 veículos. O Detran atuou em patrulhamentos e fez 320 abordagens em pontos de bloqueio na Asa Sul, no Paranoá, em Taguatinga e no Gama.

BRB abre R$ 2,5 bi em créditos

Uma das principais ações no âmbito da economia foi o lançamento do Acredita-DF, um novo programa com soluções para redução dos impactos financeiros provocados pela crise da covid-19. Por meio do Acredita-DF, o BRB vai conceder até R$ 2,5 bilhões em crédito para pessoas físicas e jurídicas, com o objetivo de atender a diferentes setores da cadeia produtiva.

“O BRB trabalha em prol do desenvolvimento econômico, social e humano do DF. No ano passado, fomos a primeira instituição financeira do País a lançar um programa, o Supera-DF, e movimentamos R$ 4 bilhões. Agora, apresentamos o Acredita-DF, e esperamos poder colaborar, ainda mais, para ajudar pessoas e empresas”, afirma o presidente do banco, Paulo Henrique Costa.

Além da liberação de novos créditos, o Acredita-DF também permite a suspensão, por até 180 dias, de pagamento de parcelas de financiamentos já contratados em todas as linhas, entre elas os produtos Crédito Imobiliário e o Crédito Consignado.

Deixe um comentário

Rolar para cima